Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Lufthansa e Air France desviam rotas da península do Sinai

  • 333

Adam Berry/Getty Images

Por precaução e segurança, as duas principais companhias aéreas da Europa anunciaram que não irão passar pela península do Sinai até ao final da investigação para apurar as causas da queda do avião russo

A companhia aérea alemã Lufthansa e a Air France anunciaram este sábado que irão desviar as suas rotas da península do Sinai até saberem os motivos da queda do avião comercial russo que transportava 224 pessoas.

“Tomamos a decisão de evitar a área porque a situação e as razões da queda ainda não estão claras”, declarou este sábado o representante da Lufthansa, sublinhando que menos de uma dezena de voos cruzam aquela região. “Continuaremos a evitar a área até ficar claro aquilo que provocou a queda.”

Também a Air France apontou no mesmo sentido. “A Air France confirma que adotou, por precaução, medidas para evitar voos sobre a zona do Sinai”, disse porta-voz da empresa.

O Airbus A-321 da companhia russa Kogalymavia (também conhecida como Metrojet) caiu este sábado numa zona montanhosa da península do Sinai, na cidade de Al-Arish. O ramo egípcio do Daesh reivindicou o atentado, que - a ser verdade - poderá tratar-se de uma represália à recente intervenção russa em território sírio.

No entanto, o ministro dos Transportes russos Maksim Sokolov declarou que a reivindicação dos militantes jiadistas “não pode ser considerada verdadeira” até se saberem os resultados da investigação que está a ser realizada pelas autoridades russas e autoridade para a Aviação Civil.