Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Depois da Hungria, também a Áustria vai erguer muro para barrar migrantes

  • 333

A polícia austriaca a guardar migrantes que pretendem entrar no país na fronteira com a Eslovénia

Srdjan Zivulovic/Reuters

O muro será construído na fronteira com a Eslovénia, para onde se deslocou o fluxo de migrantes, após a Hungria ter bloqueado a sua fronteira com a Croácia há 11 dias

A Áustria vai erguer um muro ao longo da sua fronteira com a Eslovénia numa medida para tentar suster o atual fluxo de milhares de migrantes que estão diariamente a atravessar o seu território, anunciou na terça-feira a ministra do Interior, Johanna Mikl-Leitner.

“Dei início a planos para medidas especiais de construção (…). A situação aqui é especialmente dinâmica. Temos tido entre 3 mil a 8 mil pessoas a atravessarem a fronteira (diariamente). Mas também temos de nos preparar para (a eventualidade dos números atingirem) os 12 mil”, afirmou, citada pela agência de notícias austríaca APA.

Cerca de 680 mil pessoas, fugindo da guerra e da miséria no Médio Oriente, África e Ásia, entraram na Europa este ano à procura de asilo.

Após a Hungria ter barrado a sua fronteira com a Croácia há 11 dias, o fluxo de migrantes deslocou-se para oeste, para a Eslovénia, onde já chegaram 85 mil, a grande maioria dos quais pretende chegar a países mais abastados da União Europeia, em especial à Alemanha.

Nas declarações aos jornalistas, em Spielfeld, na fronteira com a Eslovénia, a ministra austríaca não indicou mais dados sobre a construção do muro, nomeadamente quando será concretizada.

Falando para a televisão pública Oe1, esta quarta-feira, Mikl-Leitner voltou a abordar assunto: “Trata-se de garantir uma entrada ordeira [e] controlada no nosso país, não de fechar a fronteira (…). Nas últimas semanas, os grupos de migrantes mostraram-se mais impacientes, agressivos e emotivos”, pelo que se afigura necessário “tomar todas as precauções”.