Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Quem é Geeta? Jovem indiana que esteve 13 anos no Paquistão procura família

  • 333

SAJJAD HUSSAIN/AFP/Getty Image

Deverá ter vinte e poucos anos e é surda-muda. Certezas é coisa que pouco há na vida desta jovem indiana. Em 2002 foi encontrada em Lahore, em 2015 está de volta à Índia. Mas Geeta não sabe se quem a espera é realmente a sua família

Chama-se apenas Geeta. É surda-muda. Tem qualquer coisa como vinte e alguns anos. Poucas (ou nenhumas) são as certezas sobre a vida desta rapariga. Em 2002, foi encontrada em Lahore, na província do Panjabe, no Paquistão, aparentemente depois de tentar embarcar num comboio para a Índia. Estava sozinha, confusa e não tinha identificação. Agora está de regresso a território indiano, para reencontrar a família que reconheceu em fotografias, mas que afinal poderá não ser a sua.

Geeta deveria ter perto de 11 anos quando foi encontrada, enquanto vagueava não muito longe da fronteira entre Índia e Paquistão, um local fortemente militarizado. Segundo a BBC, acredita-se que estivesse perdida. Desde então, a menina deu lugar a uma jovem mulher, que no entanto nunca foi capaz de explicar quem é, de onde veio ou como foi ali parar.

Nos últimos 13 anos, Geeta foi acolhida pela Edhi Foundation, organização solidária paquistanesa com sede na cidade de Karachi. Abdul Sattar Edhi e a esposa Bilquis ficaram encarregados de a tratar e educar. Construíram-lhe um pequeno templo e tentaram arranjar-lhe um marido, mas o que Geeta queria mesmo era voltar a casa.

Houve algumas pistas ao longo dos anos, embora nada de concreto que conseguisse guiar a menina até à família biológica. Entretanto, a história de Geeta mediatizou-se em agosto deste ano, graças a um filme de Bollywood. “Bajrangi Bhaijaan” é sobre uma jovem paquistanesa muda que se perde na Índia. Soa-lhe familiar?

A opinião pública ficou sensibilizada com as semelhanças nas histórias, o que deu um embalo para que novas pistas começassem a surgir. Um grupo de diplomatas indianos em Islamabad, conta a Aljazeera, enviou para a Edhi Foundation fotografias de uma família no estado de Bihar. A jovem rapidamente reconheceu como sendo a sua.

Esta segunda-feira, Geeta está de regresso à Índia. Segundo escreve o jornal britânico “The Guardian”, foi recebida no aeroporto de Nova Deli quase como uma heroína. Uma multidão esperava-a. No aglomerado estavam alguns membros daquela que Geeta espera ser a sua família.

SAJJAD HUSSAIN/AFP/Getty Image

Há mais duas famílias que dizem que Geeta é sua

No primeiro dia na Índia, na agenda estava um encontro com a ministra dos Negócios Estrangeiros do país, Sushma Swaraj, uma reunião com o primeiro-ministro Narendra Modi e a realização de testes de AND para comprovar se existe ou ligação entre Geeta e a tal família de Bihar.

Apesar do entusiasmo do momento, talvez ainda não seja desta que Geeta realiza o seu desejo. Mesmo tendo a jovem reconhecido as pessoas nas fotografias, a família assegura que a filha que perdeu já era casada e carregava no ventre uma criança, quando foi vista pela última vez. Algo que não bate certo com a situação em que Geeta foi encontrada em 2002.

Já em Nova Deli, a ministra dos Negócios Estrangeiros disse aos jornalistas que a rapariga “se recusou a reconhecer a sua família”. “Não interessa se achamos os pais dela ou não, ela é uma filha da Índia e tomaremos conta dela”, referiu aos jornalistas Swaraj, citada pelo “The Guardian”.

Resta esperar pelos resultados dos testes de ADN. A BBC acrescenta que caso o resultado seja negativo, Geeta será levada para uma casa de acolhimento até que a verdadeira família seja encontrada.

Além destas pessoas que Geeta reconheceu na fotografia e que pessoalmente recusou identificar, existem ainda outras duas famílias indianas que dizem que a jovem é sangue do seu sangue.

Geeta já está no seu país. Mas continua a interrogação: quem é Geeta?