Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Hillary Clinton sai reforçada do inquérito sobre Bengasi

  • 333

A candidata democrata respondeu às acusações de má gestão na crise de Bengasi ao longo de 11 horas de inquérito

GARY CAMERON

“Lamento não encaixar na vossa narrativa”. Calma mas firme, Hillary Clinton respondeu no Congresso norte-americano às acusações republicanas durante mais de 11 horas. Com um inquérito bem gerido e a desistência de Joe Biden na corrida presidencial, a democrata está cada vez mais perto da Casa Branca

“Já perdi mais sono com isto do que qualquer um de vocês”. Foi assim que a provável candidata democrata às presidenciais norte-americanas, Hillary Clinton, respondeu às críticas que os republicanos dirigiram à sua atuação no ataque de Bengasi, na Líbia, durante um testemunho que durou mais de 11 horas.

Em causa estava a maneira como Hillary, na altura secretária de Estado de Obama, lidou em 2012 com o ataque que resultou na morte do embaixador norte-americano no país e de outros três cidadãos dos Estados Unidos.

A candidata democrata testemunhou na comissão parlamentar de inquérito do Congresso ao caso, enfrentando críticas duras por parte dos republicanos. Questionada sobre o motivo de não ter dado ordens para reforçar a segurança antes do ataque, mas também sobre o facto de não ter informado corretamente o público sobre as motivações dos atacantes, Clinton não fugiu à linha de resposta habitual, sem dar novidades sobre o caso.

Revelou que foi “pessoalmente doloroso” enfrentar as acusações que a apontam como culpada pelo desfecho do ataque a Bengasi. “Já pensei mais sobre o que aconteceu do que todos vocês juntos”, disse Clinton ao painel maioritariamente republicano que a interrogava. Aparentemente calma, a candidata democrata rebateu as acusações de quem pensa que poderia ter feito mais para evitar o ataque: “Lamento não me encaixar na vossa narrativa”.

Na altura, a administração Obama começou por atribuir o ataque a uma manifestação “espontânea” de cidadãos muçulmanos, alterando depois a versão oficial para culpar radicais islâmicos por um “atentado terrorista”.

Hillary cada vez mais perto da Casa Branca

A imprensa internacional desta sexta-feira está de acordo: Hillary Clinton “escapou” aos ataques republicanos. Do britânico “The Guardian” ao norte-americano “The New York Times”, lê-se que a candidata democrata “se desviou” das acusações ou, até mesmo, que “deixou os outros a gritar sozinhos”.

Os jornais não são os únicos que garantem que a candidatura de Hillary Clinton saiu reforçada do inquérito. Também o estratega republicano Joe Bretell, citado pelo “The Guardian”, admite que os colegas de partido se esqueceram de que “Clinton já lida com comités hostis há mais tempo do que aquele que alguns deles já passaram a fazer política”.

A candidatura da ex-secretária de Estado sai a ganhar com o saldo do inquérito, mas essa não é a única boa notícia para a candidata. Joe Biden, o vice-presidente norte-americano, anunciou esta semana que não avança para a corrida presidencial de 2016, deixando o caminho aberto para Hillary Clinton no que toca à nomeação do Partido Democrata.