Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Detidos 34 suspeitos de envolvimento na fuga do líder do maior cartel do mundo

  • 333

A procuradora-geral da República Arely Gómez revelou esta quarta-feira que foram detidos todos os envolvidos na fuga de El Chapo

EDGARD GARRIDO / REUTERS

“Ninguém está acima da lei”, afirmou esta quarta-feira a procuradora-geral da República, Arely Gómez. Fuga El Chapo, líder do maior cartel do mundo, continua a mexer com o México

O Governo mexicano anunciou esta quarta-feira que foram detidas mais seis pessoas envolvidas na segunda fuga de El Chapo, o líder do maior cartel de droga do mundo (Sinaloa), de uma prisão de alta segurança do México. E adianta que todos os 34 suspeitos já foram detidos pelas autoridade mexicanas.

Funcionários da prisão, pilotos e até um cunhado de El Chapo, suspeito de ter supervisionado a construção do túnel, e o seu advogado, que será o grande mentor da fuga, foram algumas das 34 detenções realizadas, segundo informou a procuradora-geral da República, Arely Gómez. Além disso, durante os últimos três meses as autoridades confiscaram armas, droga, edifícios e meios de transporte da organização criminosa.

“Ninguém está acima da lei”, declarou Gómez esta quarta-feira, sublinhando que “nem ele [El Chapo] nem aqueles que o ajudaram escaparão da justiça.” E acrescenta: “Podemos afirmar que foi desarticulado o grupo que, a partir do exterior, planeou, organizou e materializou a fuga” de El Chapo (‘o baixinho’).

A responsável confirmou ainda o que já se sabia sobre a sua fuga: que o mexicano fugiu por um túnel que ligava a sua cela a um edifício no exterior, dirigindo-se por terra a San Juan del Río, no estado de Querétaro, e de seguida de avioneta para um esconderijo. Segundo informações divulgadas nos últimos dias, El Chapo estará em Sinaloa, o seu estado-natal.

Dois dos detidos são suspeitos de ter pilotado as avionetas que permitiram a fuga do líder do cartel de Sinaloa, sendo um deles um dos pilotos históricos da organização criminosa.

Joaquín ‘El Chapo’ Guzmán Loera fugiu da prisão de alta segurança de Altiplano, no município de Almoloya, Juaréz, através de um túnel com 1,5 quilómetros de comprimento, que unia a cela onde este estava detido a uma casa de construção localizada no exterior do estabelecimento prisional.