Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Joe Biden não é candidato à sucessão de Obama. “Mas não serei silenciado”

  • 333

JIM LO SCALZO/ EPA

Atual vice-presidente da administração Obama anunciou esta quarta-feira que não vai concorrer às presidenciais dos Estados Unidos. A morte do filho Beau em maio deste ano é um dos motivos que justificam a decisão

Após meses de especulação, Joe Biden, atual vice-presidente norte-americano, clarificou as suas intenções relativamente às presidenciais norte-americanas: não é candidato. Esta quarta-feira, o número dois da administração Obama acabou com os rumores e anunciou que não irá concorrer à Casa Branca, assegurando que vai continuar ativo na vida política.

“Embora não seja candidato, não serei silenciado. Tenho intenção de falar claramente e fortemente de forma a influenciar o máximo que consiga sobre como estamos enquanto partido e para onde precisamos de ir enquanto nação”, disse Biden, citado pela CNN.

No passado mês de maio, Beau Biden, filho do ainda vice-presidente norte-americano, morreu de cancro no cérebro. Esta situação causou grandes dúvidas em Joe Biden sobre se o próprio e a família estariam preparadas para um período de campanha. "Infelizmente, acho que já não temos o tempo necessário para montar uma campanha vencedora. O processo não diz só respeito ao quanto me preocupo em cumprir prazos, primárias ou convenções partidárias. Também sei que não poderia fazer isto à minha família, que ainda não está pronta”, justificou, citado pela agência Reuters.

Joe Biden entrou por duas vezes na corrida democrata à presidência dos Estados Unidos, em 1988 e 2008, mas em ambas as ocasiões acabou por ficar de fora. Foi senador pelo Estado do Delaware durante mais de três décadas. Destacou-se como vice-presidente de Barack Obama, especialmente no que diz respeito às decisões nas relações com o estrangeiro, sobretudo na estratégia no Afeganistão e na retirada do Iraque.

A decisão de Biden pode ser um impulso na campanha de Hillary Clinton, que agora tem como principal concorrente nas eleições primárias o senador Bernie Sanders, do Vermont.