Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Deputados kosovares voltam a lançar gás lacrimogéneo no parlamento

  • 333

HAZIR REKA/REUTERS

“A oposição tem gás suficiente para bloquear qualquer sessão”, afirmou Glauk Konjufca, deputada do partido Movimento da Autodeterminação, que voltou a impedir o debate sobre um acordo que dá maiores poderes à minoria sérvia no Kosovo

Foi a segunda vez que aconteceu em duas semanas. Para impedirem o debate sobre um acordo que dá maiores poderes à minoria sérvia no Kosovo, deputados do partido Movimento Autodeterminação lançaram quinta-feira três granadas de gás lacrimogéneo dentro do parlamento, provocando o caos.

O Governo emitiu uma declaração condenando os “atos ilegais e anárquicos” da oposição, “inconsistentes com quaisquer códigos e ética, moral ou com a prática democrática”, após o presidente do parlamento ter sido obrigado a cancelar a sessão que estava prestes a ter início.

Os deputados da oposição consideraram por seu turno, numa declaração conjunta, que “apenas a retirada destes acordos irá trazer de volta a normalidade social e institucional no Kosovo”.

Cerca de 100 manifestantes concentraram-se em protesto junto ao parlamento em Pristina, após o cancelamento da sessão. Apesar das medidas de segurança que tinham sido tomadas, os deputados conseguiram levar as granadas para dentro do edifício.

“A oposição tem gás suficiente para bloquear qualquer sessão”, afirmou Glauk Konjufca, do Movimento da Autodeterminação, falando aos jornalistas no exterior do parlamento.

O acordo, estabelecido com mediação da União Europeia, dá mais direitos financeiros e legislativos à minoria sérvia, permitindo que algumas autarquias sejam geridas por sérvios. Mas os partidos da oposição consideram que representa uma ameaça, aprofundando as divisões étnicas no Kosovo.

O Kosovo, que tem população maioritariamente de etnia albanesa, declarou a independência da Sérvia em 2008, mas Belgrado rejeita a independência e ainda considera o território uma província sua a sul.