Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Pelo menos 95 pessoas morreram em duas explosões no centro de Ancara

  • 333

O número de vítimas do atentado deste sábado em Ancara não para de aumentar. Há mais de 80 pessoas mortas

REUTERS

Um duplo atentado contra uma manifestação pró-curda no centro de Ancara, capital da Turquia fez pelo menos 95 mortos e quase 250 feridos

Manhã sangrenta junto à estação de comboios de Ancara, em pleno centro da capital turca: pelo menos 95 pessoas morreram, e mais de 200 ficaram feridas, depois de duas explosões terem rasgado a multidão que se concentrava para participar numa manifestação a favor da paz, contra a guerra que grassa no leste do país entre o exército turco e os separatistas curdos do PKK.

As hostilidades, que já causaram várias centenas de mortos, entre militantes curdos, separatistas, e polícias e soldados, recomeçaram no fim de julho, precisamente após um outro atentado contra uma manifestaçãoo pró-curda em Suruç (sudeste da Turquia) ter vitimado mais de 20 ativistas.

A manifestação desta manhã tinha sido convocada por vários sindicatos e ONGs, a que se associaram o partido curdo, e outros partidos de esquerda.

O líder do partido curdo, Selahattin Demirtas, reagiu prontamente, dizendo que o atentado foi cometido por “assassinos que se escondem atrás do Estado turco”. O primeiro-ministro, Ahmet Davutoglu, já condenou o atentado e reuniu de emergência uma célula de crise para analisar a situação. Também o Presidente, Recep Tayyip Erdogan, condenou este “ataque terrorista”.

As explosões terão sido causadas por um ou mais bombistas suicidas, que utilizaram bombas de estilhaços para causar o maior número possível de vítimas – testemunhas falaram de milhares de rolamentos de aço que varreram a multidão.

Embora ainda nenhuma organização tenha reivindicado o ataque, todos as suspeitas recaem sobre os jiadistas do Estado Islâmico, que nos últimos meses levaram a cabo ataques semelhantes aos de hoje contra ativistas e alvos curdos – as mílicias curdas são precisamente o inimigo principal dos jiadistas no norte da Síria.

O governo conservador turco decidiu decretar três dias de luto nacional, anunciou o primeiro-ministro Ahmet Davutoglu.

[Notícia atualizada às 8h de domingo]

  • A notícia foi avançada este sábado por meios de comunicação ligados ao partido dos Trabalhadores do Curdistão, horas depois de um atentado terrorista ter provocado pelo menos 30 mortos no centro de Ancara, capital da Turquia