Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

O maior aniversário de sempre na Coreia do Norte

  • 333

© KCNA KCNA / Reuters

O partido do ditador norte-coreano Kim Jong-Un celebra este sábado 70 anos. Está prevista uma gigantesca parada militar, talvez a maior de sempre

Da Coreia do Norte sabe-se sempre relativamente pouco, cá fora, no “mundo”. Mas todos os anos, na altura das festividades importantes - seja o aniversário do “Querido Líder” (como é conhecido Kim Jong-un, que sucedeu no poder ao seu pai, em 2011), a 8 de janeiro, ou o do Partido dos Trabalhadores da Coreia, a 10 de outubro, transborda alguma informação para o Ocidente.

Imagens de satélite são tiradas todos os anos e as de 2015 exibem um imenso aparato para mostrar ao mundo - e aos norte-coreanos. Na capital, Pyongyang, 800 tendas foram montadas e 600 camiões e 200 veículos blindados foram mobilizados para a parada militar. Esta deverá ter o seu auge com as plataformas de lançamento de mísseis e os sete drones instalados nas estruturas de lançamento móveis.

Foi erguida uma réplica da praça Kim Il-Sung, há uma base para helicópteros e uma “Cidade das Tendas”. O grande desfile militar será acompanhado por tochas e haverá vários concertos num palco especialmente criado para a festa, perto do rio Taedong. A preparação do desfile é feita com meses de antecedência e são inúmeros os que ensaiam: estudantes, trabalhadores e outros grupos sociais da Coreia do Norte procuram melhorar, por exemplo, as suas habilidades de marcha. O “amor” pelos carros é supostamente um dos traços de carácter mais antigos de Kim Jong-Un, desde que - diz a lenda - aos 3 anos conduziu o seu primeiro veículo e aos 9 ganhava corridas de iates...

Esta exibição de poder militar e suposta união serve apenas para mascarar as dificuldades de um país absolutamente isolado do mundo, sem qualquer comunicação com este, e onde grande parte da sua população, de 25 milhões de habitantes, sofre de graves carências alimentares. O Partido dos Trabalhadores é quem controla as possibilidades de ascensão e oportunidades dos norte-coreanos, num sistema altamente arbitrário e aleatório.

Fundado há 70 anos, no rescaldo da Segunda Guerra Mundial, depois da ocupação japonesa da Coreia, o partido é contemporâneo da dinastia dos Kim, que subiu ao poder instalando a sua ditadura e omnipotência sobre o povo. Em 1948, Kim Il-Sung, o primeiro Kim, deu início à Guerra da Coreia, para reunificar as duas Coreias divididas pela Guerra Fria, entre norte-americanos e russos. O filho, Kim Jong-Il, sucedeu-lhe em 1997, e o seu neto, Kim Jong-un, seguiu-lhe os passos em 2011.

O atual líder da Coreia do Norte tem 32 anos e partilha o mesmo culto de personalidade dos seus antecessores. O “Querido Líder” deve ser adorado por todos, não havendo outros livros naquele país que não os que falem sobre ele. Nesse sentido, ele é único - nenhum outro líder dos tempos modernos conseguiu manter uma farsa durante tanto tempo.

As paradas miliares na Coreia do Norte são sempre gigantecas, tratando-se de uma exibição para dentro e para fora

As paradas miliares na Coreia do Norte são sempre gigantecas, tratando-se de uma exibição para dentro e para fora

© KYODO Kyodo / Reuters