Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Quarteto para o Diálogo Nacional na Tunísia ganha Nobel da Paz

  • 333

O secretário-geral da UGTT Houcine Abbassi, a presidente da UTICA Wided Bouchamaoui, o presidente da Liga de Defesa dos Direitos Humanos da Tunísia Abdessattar ben Moussa and e o advogado Fadhel Mahfoudh constituem o Quarteto galardoado com o Nobel da Paz

FETHI BELAID / AFP / Getty Images

Comité Nobel norueguês atribui o galardão ao grupo pela sua “decisiva contribuição para a construção de uma democracia pluralista no país” no rescaldo da Primavera Árabe. E espera que o quarteto seja “uma inspiração para todos os que procuram promover a paz e a democracia”

O quarteto constituído pela União Geral Tunisina do Trabalho (UGTT), a União Tunisina da Indústria, Comércio e Artesanato (Utica), a Ordem Nacional dos Advogados da Tunísia e a Liga de Defesa dos Direitos Humanos ganhou esta sexta-feira o Prémio Nobel da Paz.

O Comité Nobel norueguês atribui o Nobel de 2015 ao Quarteto para o Diálogo Nacional da Tunísia, pela sua “decisiva contribuição para a construção de uma democracia pluralista no país no rescaldo da revolução Jasmim de 2011”, que levou à queda do presidente Ben Ali, no cargo desde 1987.

Com início na Tunísia em 2010-2011, a Primavera Árabe rapidamente alastrou a vários países no norte de África e Médio Oriente. “Em vários destes países, a luta pela democracia e direitos fundamentais chegou a um impasse ou sofreu retrocessos”, acrescenta a porta-voz do Comité Nobel. Na Tunísia, contudo, foi diferente.

O propósito da atribuição deste Nobel assenta então em duas ideias: encorajar e servir de exemplo. “O prémio tem o objetivo de servir como um elemento encorajador para o povo tunisino que, apesar dos grandes desafios, conseguiu constituir uma fraternidade nacional que esperamos que sirva como exemplo a outros países.”

As reações dos vencedores já se fizeram ouvir. “Este é um prémio que reconhece mais de dois anos de esforços desenvolvidos pelo quarteto quando o país estava em perigo”, declarou Houcine Abbassi, secretário-geral da UGTT à Associated Press.

Constituída em 2013, esta coligação de organizações da sociedade civil surge numa altura em que o processo de democratização da Tunísia se encontrava em risco de colapsar e o país próximo de uma guerra civil.

O Quarteto para o Diálogo Nacional destaca-se assim entre os 273 candidatos este ano ao Nobel da Paz, seguindo-se à ativista paquistanesa Malala Yousafzai e ao indiano Kailash Satyarrthi, que em 2014 receberam o galardão. Angela Merkel e o Papa Francisco eram dois dos nomes apontados como favoritos para receber esta distinção em 2015.

[Notícia atualizada às 11h05]