Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Rússia diz estar aberta a coordenar intervenção na Síria com Estados Unidos

  • 333

A Rússia está também a reforçar a presença de meios navais junto à costa da Síria

Murad Sezer/Reuters

A declaração do regime de Moscovo surge num momento em que aviões da Rússia e dos Estados Unidos estão a levar a cabo ataques aéreos na Síria contribuindo para um quadro de potenciais incidentes

A Rússia está aberta a aceitar a proposta dos Estados Unidos para levar a cabo conversações para uma coordenação das intervenções militares que ambos os países estão a levar a cabo na Síria.

O vice-ministro russo da Defesa, Anatoly Antonov, indicou esta quarta-feira que o regime de Moscovo está preparado para trocar informações recolhidas no âmbito do reconhecimento de alvos.

Um porta-voz do Ministério declarou à agência russa TASS que o ministro aceitou a proposta do Pentágono nesse sentido.

“Nós apenas precisamos de especificar alguns detalhes técnicos que serão discutidos hoje pelos representantes do Ministério da Defesa russo e do Pentágono”, afirmou o porta-voz, major general Igor Konashenkov.

A declaração surge no mesmo dia em que a aviação russa continuou a levar a cabo a operação militar na Síria, tendo efetuado fortes bombardeamentos contra grupos islâmicos situados em diversas cidades das províncias de Hama e Idlib, na zona ocidental do país. Esta intervenção foi complementada pelo ataque de forças governamentais terrestres, segundo indicou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

Diversos grupos de ativistas e responsáveis norte-americanos têm considerado que a intervenção russa tem tido como alvo outros grupos rebeldes que estão a lutar contra o regime de Bashar al-Assad que não o autodenominado Estado Islâmico (Daesh).

Na terça-feira, o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, expressou a sua preocupação pela intervenção militar russa na Síria, referindo que está a passar também a incluir a deslocação de meios navais para a costa do país.

Os aviões russos também já fizeram duas incursões no espaço aéreo turco.