Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

França investiga alegados crimes contra a humanidade cometidos pelo Presidente sírio

  • 333

SANA

A investigação, ainda numa fase inicial, baseia-se em fotografias de cadáveres mutilados tiradas por um antigo soldado sírio entre 2011 e 2013

Os procuradores franceses abriram esta quarta-feira uma investigação preliminar sobre alegados crimes contra a humanidade que terão sido cometidos pelo Presidente sírio, Bashar al-Assad. A investigação baseia-se em acusações do Governo francês, que continua a pressionar Assad.

Na origem destas alegações está um conjunto de fotografias de cadáveres mutilados tiradas por um antigo soldado sírio. A procuradoria francesa alega que as imagens representam atrocidades cometidas durante a guerra na Síria, nomeadamente entre 2011 e 2013.

A porta-voz do gabinete da procuradoria, Agnes Thibault-Lecuivre, já veio esclarecer que a investigação se encontra ainda numa fase inicial, tendo sido aberta durante este mês de setembro.

As forças militares francesas decidiram esta semana envolver-se no conflito sírio, através de ataques aéreos sobre alvos terroristas em território sírio. O ministro francês dos Negócios Estrangeiros, Laurent Fabius, confirmou a posição do seu país em comunicado: “Face aos crimes que têm atacado a consciência humana, à burocracia do horror, face à negação dos valores da humanidade, é nossa responsabilidade agir contra a impunidade destes assassinos”.

O Governo francês continua a opor-se ao regime de Assad, que não quer ver envolvido em nenhuma solução política.