Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Alemanha. Constituição em árabe para ajudar na integração de refugiados

  • 333

TOBIAS SCHWARZ

Foram impressas 10 mil cópias que vão ser distribuídas junto aos centros de registo de refugiados naquele país. O vice-Chanceler lembra que esta medida não significa que as pessoas tenham de “mudar de religião ou a vida privada” ao irem para a Alemanha

“As pessoas não devem saber apenas a língua, devem também aprender as regras do jogo de vivermos todos juntos”. Estas são palavras do vice-Chanceler alemão Sigmar Gabriel ao “Bild”. Para poder ensinar essas regras aos milhares de refugiados que chegam todos os dias, a Alemanha decidiu traduzir para árabe os 20 primeiros artigos da Constituição do país.

O objetivo? Ajudar aqueles que fogem da guerra civil na Síria a integrarem-se na sua nova casa. “Estou convencido que os primeiros 20 artigos da nossa Constituição é o que molda a nossa cultura”, disse Sigmar Gabriel ao “Bild”, citado pela agência Reuters.

O vice-Chanceler assegurou ainda que os refugiados são bem-vindos, mas lembrou que ambas as partes têm de fazer um esforço: “Ninguém, quando chega à Alemanha, tem de mudar de religião ou mudar a sua vida privada. No entanto, é importante que a nossa cultura e os princípios da nossa sociedade democrática sejam aplicados a todos”.

Foram impressas 10 mil cópias que vão ser distribuídas junto aos centros de registo de refugiados naquele país. A Lei Base alemã foi adotada em 1946. Define os princípios que sustentam o sistema legal e divisão de poderes entre o governo central e as 16 regiões.

Entre migrantes e refugiados estima-se, segundo a agência Reuters, que cheguem a Alemanha ao longo de 2015 cerca de 800 mil pessoas vindas do Médio Oriente e África.