Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Desta vez não é uma partida. Putin telefonou mesmo a Elton John

  • 333

ALEXEY DRUZHININ/AFP/GettyImages

Depois de ter sido enganado por um comediante que se fez passar por Vladimir Putin, Elton John recebeu realmente um telefonema do líder russo. Os dois vão agora encontrar-se para discutirem a “ridícula” atitude homofóbica

Vladimir Putin telefonou a Elton John para marcarem um encontro. Sensação de déjà vu? Mas desta vez é mesmo verdade, assegurou o porta-voz do Kremlin. Esta quinta-feira, exatamente uma semana após o músico britânico ter sido enganado por um comediante que se fez passar por Putin, o presidente russo tomou a iniciativa e fez o convite: vamos juntar-nos e falar sobre “qualquer assunto que seja de interesse”.

Tudo começou quando Elton John, em entrevista à BBC, disse que desejava encontrar-se com Putin para discutir a “ridícula” atitude deste relativamente aos homossexuais. Dias depois, o músico publicou na sua conta do Instagram que tinha sido convidado para voar até à Rússia para falar com Putin.

Instagram

O Kremlin, na altura, assegurou que Vladimir Putin não tinha feito o telefonema que Elton John garantia ter recebido. Mas afinal quem estava a mentir? Ninguém. Tudo não passou de uma partida. Um comediante, conhecido como “Vovan”, fez-se passar pelo presidente russo e ligou ao músico britânico. E, como se costuma dizer, este caiu que nem um patinho.

Agora, é mesmo verdade. Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin, disse que Vladimir Putin marcou um encontro com Elton John e pediu-lhe para não levar a peito a brincadeira do comediante. “São pessoas inofensivas, mas que, naturalmente, não justifica o que eles fizeram”, terá dito Putin no telefonema.

Segundo escreve a BBC, ainda não há data certa para esta improvável reunião, mas ambos estão preparados para discutirem “qualquer assunto que seja de interesse”, assim que as agendas o permitirem.

Elton John é gay e casado com David Furnish (juntos há 21 anos e casados há 10), com quem tem dois filhos. Já Vladimir Putin lidera um país que tem sido amplamente criticado pela legislação relativa à homossexualidade, onde é proibido disponibilizar informação sobre o tema a menores de 18 anos.