Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Secretário-geral da ONU chocado com o modo como Hungria tratou migrantes

  • 333

Carga policial sobre refugiados migrantes na fronteira da Turquia

REUTERS

Os canhões de água e o gás lacrimogéneo usados na quarta-feira pelas autoridades húngaras contra refugiados e migrantes, junto à fronteira com a Sérvia, mereceram a condenação de Ban Ki-moon

“Fiquei chocado com o modo como estes refugiados e migrantes foram tratados, não é aceitável”, afirmou o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, referindo-se ao modo como as autoridades húngaras repeliram na quarta-feira à tarde, com recurso a canhões de água e gás lacrimogéneo, aqueles que tentavam entrar no seu país através da fronteira com Sérvia.

“Todos os países têm os seus problemas domésticos, mas estas pessoas são perseguidas e fogem da guerra, temos por isso de mostrar a nossa liderança com compaixão”, acrescentou.

Uma fonte da polícia húngara justificara a atuação afirmando que “a multidão do lado sérvio tornou-se agressiva, lançou pedras, garrafas e paus contra a polícia do lado húngaro e passou a barreira na fronteira”.

O facto da Hungria estar a bloquear a entrada no seu país está a levar os migrantes e refugiados a desviarem-se para a Croácia, onde já terão entrado cerca de cinco mil. Mais de sete mil chegaram à Alemanha na quarta-feira, segundo números avançados pela BBC com base em dados fornecidos pelas autoridades policiais.

“Primeiro, e acima de tudo, temos de assegurar a assistência para o salvamento de vidas, abrigos e condições sanitárias, depois podemos então discutir como eles devem ser tratados e acomodados”, disse o secretário-geral da ONU, realçando ainda, numa mensagem que dirigiu aos líderes europeus e asiáticos, que os migrantes e refugiados devem ser tratados “com respeito pela dignidade humana e pelos direitos humanos”.