Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ex-secretário do comité que atribui o Nobel da Paz diz que foi erro dá-lo a Obama

  • 333

Barack Obama recebeu o Nobel da Paz a 10 de dezembro de 2009, em Oslo, menos de um ano depois de ser eleito para o seu primeiro mandato

JEWEL SAMAD / AFP / Getty Images

Em 2009, a escolha do Presidente norte-americano foi vista como claramente prematura. Os anos seguintes confirmaram essa ideia

Luís M. Faria

Geir Lundestad, que durante 35 anos foi secretário do comité norueguês encarregado de escolher os vencedores do Nobel da Paz, reconhece que foi prematuro atribuir o prémio a Barack Obama, em 2009.

A admissão é feita no livro de memórias que Lundestad acaba de publicar. O objeto do prémio era funcionar como estímulo ao Presidente norte-americano (“um argumento apenas parcialmente válido”, segundo Lundestad), que fora eleito menos de um ano antes. Mas as expectativas não foram realizadas.

Na altura a escolha surpreendeu o mundo, e mesmo apoiantes de Obama. Ele próprio chegou a considerar a hipótese de não ir a Oslo receber a distinção. Mas a Casa Branca “depressa percebeu que tinha de ir a Moscovo”, conta o ex-secretário. Anteriormente, só em raros casos isso não tinha acontecido, em especial tratando-se de dissidentes cujos governos os impediram de deixar os seus países.

O livro de Lundestad, intitulado “Secretário da Paz”, conta histórias de bastidores passadas nos 35 anos em que secretariou o comité norueguês

O livro de Lundestad, intitulado “Secretário da Paz”, conta histórias de bastidores passadas nos 35 anos em que secretariou o comité norueguês

Nigel Waldron / Getty Images

O livro de Lundestad, intitulado “Secretário da Paz”, conta outras histórias de bastidores, incluindo algumas relativas a pressões políticas – por exemplo do governo chinês, para o prémio não ser atribuído a Liu Xiaobo, um opositor que em 2010 já se encontrava preso, e continua até agora – bem como alguns pormenores sobre o comportamento de alguns dos agraciados em Oslo.