Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

EUA consideram que é preciso mais do que sanções contra a Coreia do Norte

  • 333

JIM LO SCALZO/EPA

A estratégia utilizada para pressionar o Irão a aceitar o controlo internacional do seu programa nuclear não deverá ser eficaz no caso da Coreia do Norte, considera o secretário de Estado norte-americano, John Kerry

Apesar de os Estados Unidos reafirmarem o seu empenho em encontrar uma solução pacífica para o desarmamento nuclear da Coreia do Norte, acreditam que as sanções económicas não serão tão eficazes como foram relativamente ao Irão, devido ao isolamento do regime de Pyongyang e à sua capacidade de as contornar. São então necessárias outro tipo de medidas, afirmou, na quarta-feira, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry.

As declarações do responsável norte-americano - que esteve envolvido no longo processo de negociação com o Irão, levando-o a aceitar o controlo internacional do seu programa nuclear - foram proferidas um dia depois de a Coreia do Norte ter anunciado que efetuou melhorias e reativou todas as suas centrais nucleares. Este anúncio poderá significar uma eventual capacidade de criar armas nucleares mais sofisticadas.

O regime declarou, esta semana, que poderá lançar mais mísseis (para a região desmilitarizada junto à Coreia do Sul) sempre que considere necessário e surgem especulações de que poderá efetuar novos testes de armas nucleares por ocasião do seu 70º aniversário, a 10 de outubro.

Sanções a países terceiros

Kerry avisou que a Coreia do Norte poderá ser confrontada com as “graves consequências” dos seus atos e que os Estados Unidos e os seus parceiros vão “pressioná-los para que compreendam que o seu povo, o seu país, nunca avançarão até que respeitem as suas obrigações internacionais”.

“Relativamente à Coreia do Norte, poderá ser necessário mais do que sanções devido à sua ausência total de economia legítima”, acrescentou, sem especificar que tipo de medidas alternativas ponderam aplicar. Frisou, no entanto, que a China tem restringido as relações comerciais com o país e que o regime de Pequim tem evitado negociações diretas com os lideres máximos de Pyongyang.

Kerry disse ainda que foram abordadas as “opções” relativamente à Coreia do Norte durante o encontro que manteve, na terça-feira, com o ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Sergey Lavrov. A aplicação de sanções a países terceiros que colaborem com a Coreia do Norte poderá ser uma alternativa.