Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Refugiados começam a chegar à Croácia, o novo destino da esperança

  • 333

FOTO ANTONIO BRONIC/REUTERS

Com as fronteiras da Hungria fechadas, centenas de refugiados tentam neste momento chegar à Croácia, através da Sérvia. É a nova rota para alcançar a Europa do norte

A polícia húngara deteve na terça-feira 367 refugiados que conseguiram cruzar a fronteira com a Sérvia, apesar do muro de arame farpado. Os julgamentos deverão ocorrer esta semana, podendo os refugiados enfrentar entre três a cinco anos de prisão.

O ministro dos Negócios Estrangeiros húngaro, Peter Szijjarto, anunciou na terça-feira que ordenou a extensão do muro ao longo da fronteira romena de forma a evitar a entrada de mais refugiados.

Na Áustria, as autoridades também já começaram a efetuar o controlo de veículos nos três pontos principais da fronteira com a Hungria, devendo em breve ser extendido a 10 pontos.

Entretanto, com as fronteiras da Hungria fechadas, centenas de refugiados tentam, neste momento, chegar à Croácia, através da Sérvia. É a nova rota da esperança para alcançar a Europa do norte. Cerca de seis mil agentes da autoridade já foram destacados para as zonas de fronteira.

“Acreditamos que 277 refugiados entraram na Croácia através da Sérvia, desde que a Hungria fechou a sua fronteira. Mas o número está a aumentar”, declarou o ministro croata do Interior, Ranko Ostojic, sublinhando que a maioria não quer ficar no país.

O Governo croata já se mostrou disponível para receber os refugiados, criticando a medida do Executivo húngaro. “Estamos prontos para aceitar estas pessoas. Estamos a trabalhar intensamente para garantir o que for necessário”, afirmou o primeiro-ministro croata, Zoran Milanovic, citado pela AP.

O governante defendeu que “o arame farpado na Europa do século XXI não é uma resposta, mas sim uma ameaça” ao problema.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro croata deverá reunir-se com o chanceler austríaco, Werner Faymann, para discutirem a crise dos refugiados

Na Jordânia, várias centenas de refugiados sírios fazem fila em frente à embaixada para pedirem passaporte e poderem entrar de forma legal na Turquia.

Segundo a Agência Internacional para as Migrações, só este ano mais de 464 mil refugiados cruzaram o Mar Mediterrâneo rumo ao velho continente, sendo que pelo menos 2182 morreram durante a travessia.