Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Guterres: “Este drama não se resolve a controlar fronteiras”

  • 333

DENIS BALIBOUSE / Reuters

Alto Comissário das Nações Unidas diz que o mecanismo de distribuição de refugiados entre os vários Estados-membros deveria ser obrigatório. “Corremos o risco de ter refugiados a andar de um lado para o outro e a cair num limbo de natureza legal”

António Guterres diz que é necessário que haja uma distribuição justa de refugiados por todos os Estados-membros. O Alto Comissário das Nações Unidas falava no início da reunião de ministros da Administração Interna marcada para Bruxelas, esta segunda-feira.

"Vivemos numa situação de caos e de confusão no interior da UE e é absolutamente necessário que este conselho seja um passo decisivo para pôr a casa em ordem e permitir à Europa dar uma resposta à crise dos refugiados.

Questionado sobre a decisão da Alemanha e Áustria de reintroduzir controlos nas fronteiras, suspendendo temporariamente os acordos de Schengen de livre circulação, Guterres contesta: "O drama da situação atual é que cada país toma as suas medidas, mas isto não se resolve desta forma. Corremos o risco de ter refugiados a andar de um lado para o outro e a cair num limbo de natureza legal, o que é indispensável é que nos pontos de entrada haja uma recepção eficaz e depois haja uma distribuição justa por todos os estados europeus."

O Alto Comissário das Nações Unidas diz ainda que o mecanismo de distribuição de refugiados entre os vários Estados-membros deveria ser obrigatório. Caso não seja possível, defende que os países que participem de forma voluntária consigam dar resposta às necessidades dos que chegam à Europa.

"Este mecanismo deveria ser obrigatório, mas se tiver de ser voluntário, então que aqueles que participem neste mecanismo se organizem de tal forma que consigam cobrir as necessidade de todos aqueles que cheguem à Europa e essa é uma responsabilidade de coordenação que a Comissão terá de pôr em pé e em que todos devemos participar."