Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Europa chega a acordo para 40 mil refugiados. Portugal vai receber 1309 (por agora)

  • 333

Refugiados sírios à chegada a Lesbos, na Grécia

ALKIS KONSTANTINIDIS / Reuters

Países vão receber seis mil euros por refugiado. Alemanha é o país que mais pessoas vai acolher

O Conselho de ministros europeus deu esta segunda-feira luz verde ao mecanismo temporário para recolocar 40 mil pessoas “em clara necessidade de proteção internacional” que entraram na Europa através da Grécia e Itália. Por agora, vão chegar a Portugal 1309 refugiados, ao passo que o Reino Unido e a Dinamarca ficam de fora.

“Estou feliz que o conselho tenha sido capaz de adotar esta decisão. Esta é uma mensagem política importante. A primeira recolocação das pessoas com necessidades de proteção internacional irá começar rapidamente. Ao mesmo tempo, os pontos fulcrais em Itália e na Grécia passam a ter a base legal para começarem a trabalhar”, disse Jean Asselborn, ministro da Imigração e Asilo luxemburguês e presidente do Conselho.

Cada Estado-membro participante irá receber um montante fixo de seis mil euros por cada refugiado que acolha. Os representantes dos Estados-membros concordaram ainda na distribuição definida a 20 julho para as 32.256 pessoas que pediram asilo na Europa. Posteriormente, em dezembro deste ano, os números deverão ser atualizados para um total de 40 mil refugiados.

A Alemanha é o país que mais pessoas vai receber, estando previsto o acolhimento de 10 500 refugiados. Estes são números que podem aumentar com a atualização do total de refugiados.

Este mecanismo temporário beneficia pessoas que tenham chegado ou cheguem à Grécia e Itália entre o passado dia 15 de agosto e 16 de setembro de 2017.

Em comunicado, na página oficial do Conselho Europeu, Jean Asselborn acrescenta também que está a ser estudada a possibilidade de uma proposta adicional de recolocação de refugiados: “Agora que o Conselho está a discutir uma proposta adicional de relocação, é muito importante ver se este primeiro mecanismo que vai começar tem efeito.” A imprensa internacional fala em mais 120 mil refugiados.