Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Juncker diz que é “urgente” alcançar um acordo para responder à crise dos refugiados

  • 333

MARTIN BUREAU / AFP

Presidente da Comissão Europeia reconhece que o controlo temporário de fronteiras adotado pela Alemanha está previsto na legislação europeia, mas sublinha que é uma medida “excecional” para uma situação de crise

Jean Claude-Juncker sublinhou este domingo que a reintrodução temporária do controlo das fronteiras, adotado pela Alemanha para conter o fluxo de refugiados, é uma “possibilidade excecional. Alertou contudo que é necessário voltar a garantir em breve o respeito pelo acordo de Shengen, em particular na fronteira germano-austríaca.

“A situação atual na Alemanha, à primeira vista, parece ser uma situação abrangida pelas regras [ de responder a situações de crise]”, declarou o presidente da Comissão Europeia num comunicado, após uma conversa telefónica com Angela Merkel.

A medida adotada pelo governo alemão, segundo Juncker, demonstra a “urgência de se alcançar um acordo entre os Estados-membros sobre as medidas propostas pela Comissão Europeia, a fim de responder à crise de refugiados”, que passa por uma distribuição da quota de refugiados pelos vários países europeus.

Garantiu ainda que a Comissão “acompanhará de perto a situação”, e manterá o Parlamento Europeu e o Conselho Europeu informados.

Esta decisão da Alemanha deverá ser um dos principais pontos de discussão da reunião extraordinária dos ministros do Interior europeus, que terá lugar na segunda-feira, para debater a crise dos refugiados.