Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tragédia em Meca: pelo menos 107 mortos após queda de grua

  • 333

Desde há dois anos, que a Grande Mesquita de Meca é alvo de obras de reconstrução. Nesta imagem (de julho) são visíveis várias gruas no local

REUTERS

Chuva intensa e um raio são apontados como causas do acidente, que ocorre numa altura em que decorrem os preparativos para a peregrinação anual muçulmana Hajj a Meca

Um guindaste desabou esta sexta-feira na Grande Mesquita na cidade de Meca, causando pelo menos 107 mortos e 238 feridos. O acidente foi confirmado pela Autoridade da Defesa Civil da Arábia Saudita na sua conta no Twitter, que não descarta a hipótese de o número de vítimas poder ser superior.

Desconhecem-se até ao momento as causas do sucedido, mas de acordo com testemunhas o mau tempo que se faz sentir em Meca poderá ter estado na origem do acidente, nomeadamente a chuva intensa e um raio que terá atingido a grua. As imagens divulgadas nas redes sociais mostram peregrinos caídos no chão e um guindaste que parece ter desabado sobre um teto do terceiro andar da mesquita, refere a Reuters.

Segundo um repórter da Al Jazeera, o acidente aconteceu pouco antes da oração das 18h30 locais (16h30 em Lisboa), encontrando-se a mesquita lotada. De imediato, foi criado um perímetro de segurança e foram enviadas dezenas de ambulâncias e viaturas da polícia para o local.

O acidente ocorre numa altura em que decorrem os preparativos para a peregrinação anual muçulmana Hajj a Meca, que começa no dia 21 deste mês e que reúne milhares de pessoas de todo o mundo.

No ano passado, a organização reduziu o número de participantes, devido às obras de reconstrução da Grande Mesquita - que arrancaram há dois anos e que não têm data para serem concluídas -, de forma a evitar incidentes.

Dada a forte afluência a Meca nesta altura, as autoridades sauditas têm tomado mais medidas nos últimos anos para evitarem esmagamentos entre a multidão.

Em 2004, ocorreram tumultos durante a peregrinação, que causaram duas centenas de mortos, enquanto dois anos mais tarde um colapso de um edifício no local matou 76 pessoas.

artigo em desenvolvimento