Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Respire fundo: isto é heroísmo

  • 333

Reshma, indiana de 18 anos, publica tutoriais no Youtube sobre maquilhagem. Nada de especial, mas Reshma já sabe demasiado da vida para os 18 anos que tem: é uma das 309 vítimas que no ano passado sofreram um ataque com ácido na Índia. Este é um tutorial de maquilhagem para acabar com esta tragédia

Existem mais de dois mil vídeos online que explicam como aplicar batom corretamente. O tutorial da indiana de 18 anos Reshma Bano Qureshi podia ser só mais um. Mas apenas se não tivesse Reshma, mas qualquer outra jovem, no papel principal.

“Olá, o meu nome é Reshma. Estou aqui para vos ensinar como ter lábios vermelhos perfeitos”, começa assim o vídeo publicado no Youtube. Ouvidas, as palavras parecem perfeitamente normais vindas da boca de uma rapariga, mas o que vemos tira-nos o fôlego.

Reshma não tem o olho esquerdo e na sua cara está registada a memória de um ataque com ácido sulfúrico, perpetrado por um grupo de homens (entre eles o seu cunhado) no ano passado, na Índia. O cunhado foi preso, mas dois dos seus cúmplices nunca seriam apanhados.

O tutorial não é, pois, uma aula de maquilhagem qualquer - como se percebe com maior clareza na segunda metade do vídeo que já conta com mais de 900 mil visualizações e lançou uma hashtag nas redes sociais: #EndAcidSale. “Finalmente, a parte mais importante”, assegura a rapariga que já fez outros vídeos deste estilo como forma de mostrar esta realidade. “Encontras facilmente um batom vermelho no mercado, tal como o ácido concentrado. É esta a razão pela qual todos os dias uma rapariga se torna vítima de um ataque de ácido.”

A antítese entre a maquilhagem e a cara desfigurada é evidente. “Quisemos criar um contraste ao usar um assunto tão superficial como a maquilhagem para abordar um tema tão duro como os ataques com ácido”, afirmou Bharat Nayak ao “The New York Times”, representante do grupo Make Love Not Scars, que produziu o vídeo - que já conseguiu reunir mais de 100 mil assinaturas na petição que divulga, com o intuito de aumentar as restrições à venda de ácidos na Índia.

Só no ano passado ocorreram pelo menos 309 ataques com ácido na Índia, segundo dados do Ministério do Interior. Ainda que em 2013 uma ordem do Supremo Tribunal da Índia tenha proibido o mercado aberto de ácido, implementando maiores restrições nos distribuidores, os ativistas no país afirmam que ainda existem materiais perigosos que podem ser adquiridos com facilidade, como por exemplo produtos de limpeza que contêm ácido.