Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Obama aceita receber 10 mil refugiados sírios

  • 333

Joe Raedle / Getty

Washington defende que a melhor maneira de prestar assistência à população síria é através da ajuda humanitária na região

A administração Obama está disposta a acolher 10 mil refugiados sírios no próximo ano. O anúncio foi feito esta quinta-feira pelo porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, que realçou que este número mostra o “maior compromisso” dos EUA para responder à crise dos refugiados.

“Nós temos consciência da escala deste problema. É significativa. Mas vou reconhecer prontamente que a escala do problema irá persistir por muito tempo depois de 10 mil sírios serem acolhidos nos EUA durante o próximo ano”, declarou Josh Earnest.

O porta-voz da Casa Branca defendeu ainda que a melhor maneira de prestar assistência à população síria é através da ajuda humanitária na região, lembrando contudo que um plano mais ambicioso a esse nível necessitará da aprovação do Congresso.

A maior disponibilidade dos Estados Unidos para receber refugiados surge depois de o país ter sido alvo de críticas por parte do Comité Internacional de Resgate (IRC) e do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

Esta quinta-feira, John Kerry já tinha admitido que os EUA deveriam acolher mais refugiados sírios, embora não tenha adiantado o número. “Penso que o presidente [já deixou claro que os EUA - que sempre assumiram um papel de liderança relativamente aos assuntos humanitários, nomeadamente com refugiados - está disponível para fazer o que pode. Estamos na verdade comprometidos em aumentar a quota de refugiados no que diz respeito à crise na Síria e aos migrantes na Europa”, afirmou esta quinta-feira de manhã o secretário de Estado norte-americano.

Há dois dias, o porta-voz do departamento de Estado norte-americano, John Kirby, alertou por seu turno que a resposta dos EUA à crise dos refugiados teria de ser equilibrada com a segurança interna. “Quando estamos a trazer pessoas de outra parte do mundo, temos de nos certificar que o fazemos de forma segura.”

Desde o início da guerra na Síria há quatro anos, os EUA receberam 1500 refugiados deste país.