Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Dois trabalhadores da Cruz Vermelha assassinados no Iémen

  • 333

A ajuda humanitária só chegou ao Iémen em agosto depois de os Houthi e o antigo governo terem chegado a um acordo para a entrada de organizações de ajuda ao país

SALEH AL-OBEIDI

Os dois homens, cuja nacionalidade não foi revelada, foram assassinados esta terça-feira por um grupo desconhecido enquanto prestavam apoio humanitário na cidade de Aden

Dois trabalhadores da Cruz Vermelha em missão de auxílio às populações da cidade de Aden, uma das cidades do sul do Iémen que mais sofreu até agora com a guerra, foram assassinados por um grupo de homens desconhecidos.

Segundo a agência de notícias Efe, os dois homens foram mortos por um grupo, a partir de um carro, que fugiu para a zona de Amran, onde se localizam a maioria das bases militares rebeldes.

Através da sua conta oficial no Twitter, a Cruz Vermelha condenou veementemente o ataque, dizendo estar “chocada pelo assassinato brutal” dos seus dois elementos em Aden.

A organização realçou ainda a coragem dos dois homens que morreram, por arriscarem “as suas vidas para melhorar a de outros”. A nacionalidade dos dois trabalhadores não foi ainda confirmada.

Este é o segundo ataque à Cruz Vermelha no Iémen no espaço de uma semana. No dia 25 de agosto, a organização foi obrigada a parar as suas operações em Aden quando um grupo armado forçou entrada na sede da organização, levando vários medicamentos e alimentos.

A guerra civil no Iémen, entre a minoria Houthi e as forças leais ao antigo Governo, atualmente exilado, tem causado uma devastação e uma crise humanitária profundas.