Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ataque do Al-Shabab à base da União Africana faz perto de 50 mortos

  • 333

Soldados ugandeses ao serviço da Missão da União Africana na Somália

Feisal Omar / Reuters

O grupo terrorista Al-Shabab invadiu uma base da AMISON (Missão da União Africana na Somália), em Janaale, a sul da capital da Somália, Mogadíscio, matando cerca de 50 soldados

O ataque desta terça-feira foi reivindicado por um porta-voz do grupo armado Al-Shabab que confirmou à Al-Jazeera ter sido responsável pelo ataque à base da AMISON e pela morte de vários militares da Missão da União Africana, ugandeses na sua maioria.

Residentes locais confirmaram que vários homens armados entraram na base na cidade de Jaanale, localizada a pouco mais de 120 quilómetros da capital Mogadíscio. Usaram um carro armadilhado e um “lança-mísseis”, para tentarem controlar a base.

Tanto a União Africana como o Governo da Somália ainda não efetuaram quaisquer declarações sobre o ataque.

O mesmo grupo tinha reivindicado, na passada quarta-feira, um outro ataque ao Hotel Jazzera, em Mogadíscio. A explosão de um carro armadilhado matou pelo menos dez pessoas.

Os ataques dos fundamentalistas do Al-Shabab às tropas da União Africana têm sido recorrentes. Em junho, o Al-Shabab reivindicou um ataque às tropas da AMISON na mesma região, que foi considerado o mais mortífero desde a chegada da Missão da União Africana ao país, há oito anos. Na altura, os rebeldes usaram um método em tudo semelhante ao desta terça-feira, invadindo uma base da AMISON e matando cerca de meia centena de soldados do Burundi.