Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Um morto e 100 feridos em explosão de granada junto ao parlamento ucraniano

  • 333

SERGEY DOLZHENKO / EPA

Soldado da Guarda Nacional não resistiu ao ferimento provocado pelo estilhaço de uma granada. Manifestantes nacionalistas envolveram-se em confrontos com as autoridades

Um membro da Guarda Nacional da Ucrânia morreu esta segunda-feira devido a ferimentos sofridos durante confrontos frente ao parlamento, que deixaram feridos cerca de 100 polícias e militares, anunciou o ministro do Interior, Arsen Avakov.

"Morreu um soldado da Guarda Nacional, de uma ferida provocada por um fragmento no coração", escreveu o ministro na rede social Facebook.

A vítima mortal era um dos cerca de 100 feridos na explosão de uma granada durante confrontos entre a polícia e manifestantes nacionalistas, que protestavam contra a aprovação pela Rada Suprema (parlamento) da polémica reforma constitucional, que confere uma autonomia acrescida aos territórios separatistas do leste do país.

Os feridos são sobretudo polícias e militares, mas incluem também dois jornalistas, segundo o ministro. A granada foi lançada por um manifestante, já detido pela polícia.

"Mais de 30 pessoas já foram detidas. E haverá mais", escreveu igualmente o ministro, acrescentando que foram lançados "vários engenhos" explosivos por pessoas que usavam 't-shirts' com o símbolo do partido nacionalista Svoboda.

A Presidência ucraniana anunciou que o Presidente Petro Poroshenko vai dirigir-se aos cidadãos numa mensagem transmitida pela televisão sobre os acontecimentos desta segunda-feira em Kiev, sem precedente desde a revolta que levou à destituição do Presidente pró-russo Viktor Ianukovich, em fevereiro de 2014.