Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Arcebispo polaco acusado de pedofilia morreu e já não será julgado

  • 333

\302\251 Stringer . / Reuters

Josef Wesolowski seria o primeiro núncio a ser julgado pelo Vaticano por abuso sexual de menores.Morreu esta quinta-feira à noite, aos 67 anos, por “causas naturais”

A notícia da morte do arcebispo polaco de 67 anos, acusado pelo Vaticano de abuso sexual de menores, foi revelada à agência Franca Press por uma fonte da Igreja Católica. Josef Wesolowski foi encontrado morto no seu quarto no Vaticano na manhã desta sexta-feira. Segundo a mesma fonte, a autópsia, realizada imediatamente, apurou que a morte se deveu a “causas naturais” e que terá acontecido ainda na noite de quinta-feira.

Wesolowski seria o primeiro núncio a ser julgado pelo Vaticano por pedofilia, sob a acusação de abuso de menores e posse de pornografia infantil durante os anos em que representou a Santa Sé na República Dominicana. Já se encontrava doente desde 11 de julho, tendo sido hospitalizado poucos dias antes do início do julgamento, entretanto adiado, por “doença súbita”. Os detalhes da doença nunca foram especificados, mas segundo fontes do Vaticano sofria de problemas cardíacos.

O julgamento do arcebispo polaco ficou adiado para o início de setembro, na esperança de que o seu estado de saúde pudesse melhorar. Caso fosse julgado e considerado culpado, Josef Wesolowski arriscava uma pena de prisão entre cinco e sete anos.