Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Morreu o atirador que matou dois jornalistas em direto

  • 333

O carro onde o atirador foi encontrado pela polícia

DAVID MANNING / Reuters

Vester Flanagan, 41 anos, morreu no hospital na sequência de ferimentos resultantes de uma tentativa de suicídio. Esta quarta-feira, matou dois jornalistas que estavam em direto na TV norte-americana - e com os quais tinha trabalhado durante um ano

O acontecimento foi mostrado em direto e é chocante: a jornalista Alison Parker, 24 anos, e o repórter de imagem Adam Ward, de 27, estavam a trabalhar em direto na TV quando foram abatidos a tiro. Mais tarde, as autoridades divulgaram que o atirador tinha sido ex-colega das vítimas na estação televisiva WDBJ7, uma cadeia regional dos EUA.

Depois de ter atingido mortalmente os ex-colegas, o homem colocou-se em fuga, tendo sido intercetado posteriormente pelas autoridades. Foi encontrado dentro de um carro, um Mustang, já depois de ter disparado sobre si próprio. Foi reencaminhado para o hospital, onde acabou por morrer. A informação já foi confirmada pela polícia, que identificou o suspeito: trata-se de Vester Flanagan, 41 anos, ele próprio um ex-jornalista.

“Não há motivo certo, mas o atirador estava perturbado”, explicou Bill Overton, xerife de Franklin County, em conferência de imprensa. As autoridades identificaram o suspeito pouco antes das 11h (16h em Portugal Continental), num Ford Mustang de 2009, conduzia na Interestatal 81 (autoestrada), tendo sido intercetado meia hora depois já na Interestatal 66.

O crime ocorreu pelas 06h45, hora local (11h45 em Lisboa). Flanagan tinha sido contratado pela WDBJ7 em 2012, mas em fevereiro de 2013 acabaria por sair. E não foi pacífico: segundo o jornal local “Roanoke Times”, em maio de 2014 processou a estação de televisão por discriminação, acusando todos os funcionários. Em tribunal, alegou que lhe era devido dinheiro por causa dos danos causados. Em julho de 2014, o caso foi arquivado.

“Era um homem infeliz. Demos-lhe trabalho como repórter e tinha talento e alguma experiência , apesar de ter estado fora da área por algum tempo”, disse Jeff Marks, presidente da WDBJ7, citado pelo “The Guardian”.

Pouco tempo depois de entrar na estação, Flanagan ganhou rapidamente a reputação de ser uma pessoa “complicada de trabalhar” e que “se ofendia com facilidade”. “Eventualmente, após diversos incidentes em que a sua raiva vinha ao de cima, tivemos de o dispensar. Ele não aceitou bem a situação, tivemos de chamar a policia para o escoltar para fora do edifício”, conta Jeff Marks.

O presidente da WDBJ7 diz que Vester Flanagan acusou muitos colegas de trabalho de “comentários racistas”. No entanto, os acontecimentos não foram “corroborados por ninguém - pensamos que foi algo fabricado”.

Desde então, conta o presidente da estação televisão, Flanagan não estabeleceu qualquer contacto com a empresa ou com os antigos colegas de trabalho. Até esta quarta-feira: Alison Parker e Adam Ward estavam em direto esta quarta-feira de manhã, hora local, quando foram abatidos a tiro.

A repórter acabara de iniciar uma entrevista sobre turismo, no centro comercial Bridgewater Plaza, em Moneta.

As imagens captadas ainda mostram fugazmente o atacante, vestido com calças pretas e uma camisola azul. Quanto à mulher que era entrevistada, embora atingida, sobreviveu - mas não se sabe a extensão dos ferimentos.