Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Os quatro mosqueteiros. “Todo o mundo admira a vossa bravura”

  • 333

Chris Norman, Anthony Sadler, o Presidente Francês François Hollande, Spencer Stone e Alek Skarlatos

MICHEL EULER / POOL/ Reuters

Há dias estavam a viajar de comboio entre Amesterdão e Paris. Esta segunda-feira foram distinguidos com a mais alta condecoração do Estado francês. Chris Norman, Anthony Sadler, Spencer Stone e Alek Skarlatos travaram aquele que podia ter sido um ataque terrorista

“Um indivíduo tinha decidido cometer um atentado no ‘Thalys’ [comboio que liga Amesterdão a Paris]. Possuía armas suficientes e munições para causar uma verdadeira carnificina. Era o que ele teria feito se não o tivessem impedindo”, disse esta segunda-feira François Hollande. O presidente francês falava de Spencer Stone, Alek Skarlatos, Anthony Sadler e Chris Norman, os quatro homens que travaram um terrorista na passada sexta-feira. Agora foram agraciados com a mais alta condecoração do Estado francês.

Na última sexta-feira, dia 21, Ayoub El Kahzzani, um marroquino de 26 anos, entrou no Thalys com uma kalashnikov, uma pistola e uma faca. Estava a preparar uma “verdadeira carnificina”. Poderia ter sido, mas não foi. Quatro homens viajavam na penúltima carruagem. Spencer Stone, Alek Skarlatos e Anthony Sadler são norte-americanos e amigos desde a infância. Estavam de férias quando deram por si no meio de um ataque. A eles juntou-se Chris Norman, um britânico.

François Hollande entrega a medalha a Spencer Stone, o único dos quatro que ficou ferido

François Hollande entrega a medalha a Spencer Stone, o único dos quatro que ficou ferido

POOL/ Reuters

Spencer Stone foi o primeiro a atirar-se ao atacante. Ficou ferido e teve de ser hospitalizado, mas teve alta logo no sábado. Tem sido o protagonista mais falado em Portugal, pois, segundo avançou o “Diário de Notícias”, o militar da Força Aérea norte-americana está destacado na Base das Lages, nos Açores. “Isto é de loucos. Nunca pensei que estaria aqui”, disse Stone aos jornalistas após a cerimónia de homenagem, citado pela CNN.

Alek Skalatos é o mais novo. Tem 22 anos e, à semelhança de Spencer Stone, é militar. Faz parte da Guarda Nacional no Estado do Oregon, Estados Unidos da América. Em julho tinha terminado um período de destacamento no Afeganistão.

Já Anthony Sadler estava pela primeira vez a pisar o solo europeu. Em vez das férias que tinha planeado com os dois amigos, acabou metido no meio de uma tentativa de atentado. Tem 23 anos e é finalista do curso de fisioterapia na Universidade do Estado da Califórnia, em Sacramento.

“Sou um simples estudante universitário, sou finalista. Vim para estar com os meus amigos na minha primeira viagem à Europa e parámos um terrorista. Isto é de loucos. O atirador teria sido bem-sucedido se os meus amigos não tivessem avançado”, contou Sadler, citado pela CNN.

O consultor informático de 62 anos Chris Norman também ajudou os três norte-americanos. Não tinha qualquer relação com eles, não os conhecia de lado nenhum. A única coisa que os ligava era estarem todos naquela carruagem no mesmo dia e à mesma hora enquanto um homem tentava levar a cabo um ataque terrorista.

“Na altura pensei que provavelmente iria morrer, por isso mais valia morrer a ser ativo e a tentar derrubá-lo [ao atacante] do que ficar simplesmente sentado num canto e ser alvejado”, explicou aos jornalistas.

Os quatro homens foram agora distinguidos com a Legião de Honra

Os quatro homens foram agora distinguidos com a Legião de Honra

POOL/ Reuters

A vossa bravura

O Palácio do Eliseu, em Paris, abriu portas esta segunda-feira de manhã para agradecer os atos “de coragem” dos quatro homens. Em cerimónia presidida por François Hollande, Spencer Stone, Alek Skarlatos, Anthony Sadler e Chris Norman foram distinguidos com a Legião de Honra, a mais alta condecoração do Estado francês.

“Homenageamos estes quatro homens que, graças à sua coragem, salvaram vidas. Em nome de França, gostaria de vos agradecer. Todo o mundo admira a vossa bravura. Deve ser um exemplo e uma inspiração para todos nós. Puseram as vossas vidas em risco para defender a liberdade”, sublinhou esta segunda-feira o chefe do Estado francês.

Segundo a agência Lusa,a cerimónia decorreu na presença dos primeiros-ministros belga, Charles Michel, e francês, Manuel Valls, e de vários ministros do governo de França, incluindo o ministro do Interior, Bernard Cazaneuve. Representantes da polícia, dos serviços de socorro e médicos também assistiram à cerimónia.

Também Barack Obama quis mostrar apreço pelas ações dos quatro homens. Segundo escreve a CNN, o presidente norte-americano descreveu Spencer Stone, Alek Skarlatos e Anthony Sadler como heróis e telefonou-lhes para os congratular.

“O Presidente expressa a sua profunda gratidão pela coragem e rápida reação dos vários passageiros, onde se incluem membros ao serviço dos Estados Unidos da América, que abnegadamente subjugaram o ataque. É claro que os seus atos heroicos preveniram uma tragédia muito pior”, fez saber através de comunicado o gabinete de Barack Obama.

A embaixadora dos Estados Unidos da América em França, Jane Hartley, em declarações à CNN, considerou ainda que “a palavra herói”, neste caso, “não poderia ser mais apropriada”.