Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Banguecoque. Polícia tailandesa perde rasto do alegado autor do atentado

  • 333

As autoridades tailandesas continuam à procura do autor do atentado, mas sem informações ainda sobre a sua localização

CHAIWAT SUBPRASOM/REUTERS

As autoridades da Tailândia receiam que o alegado autor do atentado em Banguecoque tenha deixado o país. Esta segunda feira, a polícia desativou uma bomba, numa casa a leste da capital

A polícia tailandesa disse esta segunda-feira ter perdido o rasto do alegado autor do atentado bombista em Banguecoque, que há uma semana causou a morte a 20 pessoas num popular templo da cidade. Segundo as informações prestadas, a polícia receia que o homem tenha já deixado o país.

Prawut Thavornsiri, um responsável da polícia, disse à televisão tailandesa, citado pelo “The Wall Street Journal”, que apesar de as autoridades recearem que o suspeito possa já não estar na Tailândia, as investigações prosseguem. “Continuamos à procura, no caso de encontrarmos outras pessoas que possam estar no país, ou encontrarmos pistas, provas ou testemunhas que o possam ter visto”.

Os investigadores não têm mais do que as imagens da câmara de vigilância, que mostram um rapaz a deixar uma mochila no templo de Erawan. A polícia sabe também que a seguir o jovem partiu numa moto-táxi, mas desconhece quer a sua localização quer a nacionalidade.

“No que diz respeito às câmaras de videovigilância, algumas não registam imagens corretas e outras foram danificadas, o que leva a polícia a perder tempo para determinar para onde é que o suspeito se deslocou”, segundo o chefe de polícia, Somyot Poompanmuang.

Bomba desativada

Também esta segunda-feira, a polícia tailandesa desativou um artefacto explosivo a leste de Banguecoque, informam os meios de comunicação locais, citados pela agência Lusa.

Fontes policiais confirmaram ao jornal “Matichon” que os peritos inutilizaram uma granada, a qual não teria, porém, qualquer relação com o ataque terrorista de segunda-feira passada.

Este caso tem desencadeado declarações contraditórias da polícia e da junta militar sobre a autoria do mesmo, eventual implicação ou não de estrangeiros, ou o número de envolvidos. A autoria do atentado não foi reivindicada até então.