Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Gás lacrimogéneo, granadas de ruído e militares: como a Macedónia está a travar os migrantes

  • 333

Porta-voz do ministro do Interior nega incidentes e utilização de gás lacrimogéneo, mas vídeo divulgado pelo “The Guardian” mostra um cenário diferente daquele que é descrito pelo governo macedónio

Pelo menos cinco migrantes ficaram feridos quando a polícia macedónia lançou granadas de ruído junto à fronteira do país com a Grécia, disse um fotojornalista da agência de notícias AFP.

Mais de 3.000 migrantes, na sua maioria sírios, estão retidos nas proximidades da cidade grega de Eidomeni, depois de a Macedónia ter declarado o estado de emergência, na quarta-feira, e enviado tropas para ajudar a conter o fluxo migratório dos que tentam atravessar a fronteira para o lado macedónio, com o objetivo de chegar ao norte da Europa.

A polícia de intervenção disparou granadas e enfrentou centenas de migrantes, incluindo mulheres e crianças, que estavam reunidos na fronteira. As granadas provocaram nuvens de fumo e as pessoas correram para se abrigar, de acordo com o relato de um fotojornalista da agência francesa AFP.

As autoridades macedónias negam, no entanto, que tenha ocorrido qualquer conflito. O porta-voz do ministro do Interior, Ivo Kotevski, disse à AFP que "não houve incidentes, nem bombas de gás lacrimogéneo... nada disso se passou do lado da Macedónia". Um vídeo divulgado pelo “The Guardian”, que pode visualizar no início do texto, revela um cenário diferente deste descrito por Kotevski.