Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

A substituta de Tsipras

  • 333

ARIS MESSINIS/ Getty Images

Vassiliki Thanou-Christophilou vai assumir o cargo de Alexis Tsipras até que seja eleito um novo primeiro-ministro. Segundo o “The Guardian”, Christophilou não acha grande piada ao resgate

A nova e temporária primeira-ministra da Grécia é Vassiliki Thanou-Christophilou. A atual presidente do Supremo Tribunal assume o lugar de Alexis Tsipras até que seja eleito um novo chefe de governo. Esta quinta-feira, com demissão de Alexis Tsipras e a convocação de eleições antecipadas, segundo a lei grega, é o presidente do Supremo que fica como principal responsável do executivo.

O jornal britânico “The Guardian”, avança que a substituta de Tsipras sempre mostrou contra o terceiro resgate financeira à Grécia.

Vassiliki Thanou-Christophilou tem 65 anos, é casada e tem três filhos. Nasceu em Cálcis, na ilha grega Eubeia em 1950. Estudou Direito na Universidade de Atenas e depois rumou à Universidade de Sorbonne, em Paris, onde realizou a pós-graduação em direito europeu.

O “Greek Reporter” avança que em 1975 Christophilou começou a trabalhar na área judicial. Dezassete anos depois já presidia o Tribunal de Primeira Instância da Grécia e em 2005 foi promovida a presidente do Tribunal da Relação.

Em 2008, entra para o Supremo Tribunal grego, onde começa como juíza e em 2014 torna-se vice-presidente. Há cerca de um mês, a 1 de julho, com a reforma do presidente daquela instituição, Vassiliki Thanou-Christophilou deixou o lugar de número dois e passou a presidir o Supremo Tribunal.

Em paralelo, é também presidente do Tribunal Eleitoral, que, tal como a designação indica, inspeciona a validade das eleições parlamentares, europeias e referendos.

Juntamente com o trabalho nos tribunais, a juíza é há seis anos professora de Direito Civil na Escola Nacional de Magistrados.