Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Pistorius já não será libertado

  • 333

Oscar Pistorius durante o julgamento, em abril de 2014

Siphiwe Sibeko/ Reuters

Atleta olímpico deveria ser libertado esta sexta-feira, mas já não será assim. O ministério da Justiça sul-africano suspendeu a libertação, que considera ser “prematura”

Tudo apontava para que Oscar Pistorius fosse libertado após cumprir 10 meses de prisão. Afinal, o atleta olímpico vai continuar no estabelecimento prisional Kgosi Mampuru II, em Pretória, África do Sul. A confirmação foi feita esta quarta-feira pelo departamento de justiça sul-africano.

O “Blade Runner” - como Pistorius é conhecido - foi julgado em 2014 por homicídio voluntário da namorada, Reeva Steenkamp. Foi condenado a cinco anos de prisão. No passado mês de junho, surgiu o pedido para que fosse libertado a 21 de agosto - esta sexta-feira.

Oscar Pistorius iria supostamente acabar de cumprir a pena em prisão domiciliária, em casa de um familiar. No entanto, o ministro da Justiça da África do Sul acredita que seria uma libertação “prematura”. A família já fez saber, citada pelo jornal britânico “The Independent”, que está “chocada e desapontada” com a decisão.

Apesar de a libertação não ser para já, existe ainda uma hipótese para o “Blade Runner”. Uma nova data de libertação vai ser proposta a um renovado conselho de liberdade condicional. Até lá, fica tudo em suspenso.

Caso acabe por cumprir o resto do tempo em casa, o departamento de serviços correcionais terá de decidir se o atleta pode ou não continuar a treinar. Quanto a competições nacionais ou internacionais, está proibido de participar até ao fim da sentença.

Em setembro, Oscar Pistorius pode ainda ser condenado por homicídio, uma vez que vai ser presente ao Supremo Tribunal de Justiça. Se for condenado, o mais provável é que acabe por ficar a cumprir o resto da pena atrás das grades. Após o primeiro julgamento, por homicídio involuntário, em que foi condenado a cinco anos de prisão, os procuradores de justiça lançaram um apelo contra o veredito e conseguiram que o caso fosse considerado pelo Supremo.

O “Blade Runner” ficou conhecido como o primeiro atleta com ambas as pernas amputadas a participar nos Jogos Olímpicos. Participou nas provas de atletismo dos 400 metros e nos 400 metros estafetas nos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres, no Reino Unido.