Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Merkel controla rebelião: Parlamento alemão aprova novo empréstimo à Grécia

  • 333

WOLFGANG KUMM / EPA

Angela Merkel controlou a prevista rebelião dentro do seu partido, a CDU/CSU, tendo o pacote sido aprovado com 63 votos contra dos democratas-cristãos

Cátia Bruno

Cátia Bruno

Jornalista

O Bundestag (Parlamento alemão) aprovou esta quarta-feira um novo empréstimo de cerca de 86 mil milhões de euros à Grécia, durante três anos. A contabilidade ficou assim distribuída: 454 deputados votaram a favor, 113 contra e 18 abstiveram-se.

Na sessão parlamentar, o ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble, apelou à aprovação do empréstimo, dizendo que o objetivo do Governo alemão é o de que “a Grécia possa voltar a levantar-se assim que possível”. O ministro deixou ainda completamente de lado qualquer hipótese de um corte nominal (haircut) na dívida grega, defendido pelo Fundo Monetário Internacional: “A sustentabilidade da dívida pode ser conseguida sem um haircut”.

Apesar dos rumores no início da semana de que a chanceler Angela Merkel poderia enfrentar uma onda de votos contra o terceiro resgate, vinda de dentro do seu próprio partido (CDU, conservadores), o cenário não se revelou tão negro quanto o esperado. As 113 rejeições ficaram aquém dos 119 deputados que votaram contra o inicio das negociações para um novo acordo com a Grécia, no mês passado, no Bundestag. Os sociais-democratas do SPD, parceiros de coligação, bem como os Verdes na oposição, apoiaram o resgate.

Dentro da CDU, 66 deputados desafiaram a orientação de voto (63 votaram contra e três abstiveram-se). No mês passado, registaram-se 60 votos contra e cinco abstenções. Ou seja, apesar de ter havido uma diferença de apenas um voto de julho para agosto no geral, o número de deputados a declarar abertamente a sua oposição a um novo resgate subiu de 60 para 63.

A correspondente de “The Guardian” em Berlim, Kate Connolly, chama a atenção para o número elevado de deputados que faltaram à sessão, talvez para evitar votarem. Registaram-se 46 faltas, um valor mais alto do que o habitual. “Nunca numa votação importante apareceram tão poucos. Alguns estão doentes, outros estão longe, mas muitos ficaram de fora em protesto”, escreveu a jornalista no Twitter.

Depois da aprovação de vários parlamentos europeus, como o alemão, o espanhol e o austríaco, entre outros, a Holanda discutirá agora o empréstimo à Grécia esta quarta-feira. Só depois destas aprovações poderá o Mecanismo de Estabilidade Europeu avançar com a primeira tranche de 26 mil milhões de euros, que permitirá aos gregos pagarem os 3,2 mil milhões devidos ao Banco Central Europeu até ao dia 20.

  • Resgate à Grécia agita partido de Angela Merkel

    O Parlamento alemão vota, na quarta-feira, o novo programa de assistência financeiro à Grécia. Angela Merkel enfrenta uma rebelião no seio da sua bancada parlamentar (CDU/CSU) por parte de deputados que exigem o envolvimento do FMI

  • Alemanha é a nova “dona” de 14 aeroportos gregos

    O consórcio alemão Fraport-Slentel venceu a primeira privatização feita pelo Governo de Alexis Tsipras. Daqui para a frente quem vai mandar nos aeroportos de Salónica, a segunda maior cidade da Grécia, e das ilhas de Corfu, Rodes, Kos, Samos e Santorini, entre outras, é uma empresa do país de Angela Merkel