Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Confirma-se que usa óculos, suspeita-se cada vez mais que não atuou sozinho

  • 333

Polícia Real Tailandesa / Reuters

Está divulgado o retrato-robô do principal suspeito do atendado em Banguecoque. Autoridades dão €25 mil a quem fornecer informações

As autoridades tailandesas revelaram esta quarta-feira o retrato-robô do suspeito de ter detonado uma bomba no templo hindu de Erawan, no centro da capital do país, confirmando-se um dos traços apontados na véspera pela análise das imagens vídeo de uma câmara de segurança: usa óculos.

Mas as novas informações sobre o suspeito do atentado em Banguecoque que tirou a vida a 22 pessoas e deixou feridas outras 123 não se ficam por aqui. Segundo revelou em conferência de imprensa o chefe da polícia nacional, Somyot Poompanmoung, “ele de certeza absoluta que não atuou sozinho - trata-se de uma rede”.

Poompanmoung adiantou que a polícia “suspeita de várias pessoas” e acredita que existam “tailandeses envolvidos”, sem pôr de parte também a conivência de pessoas estrangeiras nesta ação terrorista.

As investigações prosseguem, com as autoridades tailandesas muito interessadas em apurar a nacionalidade do principal suspeito. Para que seja detido tão depressa quanto possível, a polícia oferece uma recompensa de um milhão de bahts (cerca de 25.400 euros) a quem forneça informações sobre o seu paradeiro.

Dois dias decorridos sobre o atentado numa das zonas mais movimentadas do centro de Banguecoque, os efeitos começam a fazer-se notar. O sector turístico parece ser o mais afetado, com o relato de inúmeros cancelamentos de viagens de avião, excursões, reservas de hotéis, etc.