Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Chuva com espuma branca alarma cidade chinesa das explosões gigantes

  • 333

Por precaução, algumas autoridades alertaram a população para evitar o contacto com a água da chuva

KIM KYUNG-HOON/REUTERS

Desde que se descobriu que o armazém onde aconteceram as explosões continha toneladas de químicos perigosos, o risco de uma eventual contaminação tem preocupado os habitantes

Quase uma semana após as explosões que fizeram mais de 100 mortos, a queda das primeiras chuvas em Tianjin veio provocar o pânico, ao verificar-se que sobre as estradas molhadas se acumulava uma espuma branca, de origem desconhecida.

O receio de uma eventual contaminação química, dada a libertação de toneladas de químicos perigosos que estavam armazenados no local onde aconteceram as explosões, foi desde a primeira hora fonte de preocupação para os moradores na proximidade da zona afetada.

Certo é que apesar de o diretor do Centro de Controlo Ambiental de Tianjin ter garantido que não se registaram alterações na qualidade do ar, explicando a espuma como “um fenómeno normal, já verificado em ocasiões anteriores”, outras autoridades recomendaram que as pessoas evitassem o contacto com a água da chuva, por precaução.

O armazém de produtos químicos da empresa Ruihai onde aconteceram as explosões mantinha no seu interior 700 toneladas de cianeto de sódio - uma clara violação das regras de segurança. Análises efetuadas a 29 amostras de água recolhidas em zonas próximas do acidente revelaram a existência de vestígios deste composto, num dos casos com uma concentração 28 vezes acima do permitido.