Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Corpos das 54 pessoas encontrados com os destroços do avião indonésio

  • 333

MAST IRHAM/EPA

O avião indonésio da Trigana Air poderá ter batido no cume de uma montanha antes de cair numa ravina, na província de Papua, no passado fim de semana. A zona onde se encontra é de tão difícil acesso que as equipas de resgate tiveram de seguir a pé até lá

As equipas de resgate chegaram, esta terça-feira, aos destroços do avião indonésio da Trigana Air que caiu domingo na província de Papua e confirmaram que não há sobreviventes.

Todos os corpos das 54 pessoas que seguiam a bordo foram encontrados, indicou Tatang Kurniadi, diretor do Comité Nacional para a Segurança dos Transportes.

As vítimas, todas de nacionalidade indonésia, são os 44 passageiros adultos, 5 crianças e adolescentes e cinco membros da tripulação.

Um avião indonésio detetara e fotografara, na segunda-feira, os destroços, numa zona de densa vegetação, nas montanhas Bintang, mas as operações de resgate não puderam prosseguir logo devido à chegada da noite.

A zona onde o aparelho caiu é de tão difícil acesso que as equipas de resgate tiveram de seguir até lá a pé. “Mesmo os habitantes locais nunca foram até este local”, afirmou Heronimus Guru, vice-diretor da Agência Nacional Indonésia de Busca e Resgate (ANIBR).

Caixa negra encontrada

Duas equipas civis de resgate seguiram para o local com o apoio de militares indonésios, tendo lutado para atravessar a selva montanhosa, onde estiveram acampados durante a noite antes de conseguirem chegar ao local.

“Neste momento, eles estão a preparar o equipamento para o processo de evacuação e a construir um heliporto”, disse Henry Bambang Soelistyo, chefe da ANIBR.

Já foi encontrada a caixa negra que deverá ajudar a descobrir o motivo do acidente.

O ATR-42-300 da Trigana Air saíra, no domingo à tarde, de Jayapura - capital da província de Papua, na zona oriental da Indonésia – num voo com destino a Oksibil, que deveria ter demorado apenas 45 minutos. Trinta minutos depois de ter descolado o aparelho perdeu o contacto com os controladores aéreos.

As autoridades indonésias pensam que o aparelho deverá ter-se desviado da sua rota devido ao mau tempo. “Há a possibilidade do aparelho ter batido num cume e depois caído numa ravina porque o local onde foi encontrado é íngreme”, afirmou o major-general Heronimus Guru, diretor de operações da ANIBR.

Dez aviões da Trigana Air já haviam caído

A ATR é uma “joint venture” da Airbus e da Alenia Aermacchi, subsidiária italiana da Finnmeccanica. O aparelho que caiu fez o seu primeiro voo há 27 anos. A Trigana Air, que tem uma frota de 14 aparelhos, encontra-se entre as companhias que foram banidas pela União Europeia em 2007.

Desde que começou a operar em 1991 já teve 14 acidentes graves, com dez quedas de aparelhos, para além da ocorrida no passado fim de semana.

A Indonésia tem um longo historial de acidentes aéreos. Só no último ano ocorreram dois de grande dimensão. Em dezembro, um avião da AirAsia caiu no mar de Java fazendo 162 vítimas. Em junho um avião de transporte militar caiu causando a morte de mais de uma centena de pessoas.