Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Um carro que se conduz sozinho? Pode ser que desta vez seja mesmo realidade

  • 333

Tim Cook, CEO da Apple

Justin Sullivan/ Getty Images

Pela primeira vez há documentos que comprovam que estão a ser testados veículos que se conduzem sozinhos

Imagine deslocar-se no seu carro, mas sem nunca ter de tocar no volante, nas mudanças ou no pedais. Parece uma realidade futurista? Talvez não esteja assim tão distante como pensa. Esta sexta-feira, foram revelados documentos que comprovam que a Apple está a tentar testar automóveis que conduzem sozinhos e, ao que parece, o projeto já está bem mais avançado do que se pensava e quase pronto para chegar às estradas.

O jornal britânico “The Guardian” teve acesso a documentos privados que provam que os engenheiros do grupo de Projetos Especiais da Apple estão à procura de um local para testar o mais recente gadget: um carro que se auto conduz.

Há algum tempo que os rumores circulavam. Mas agora, pela primeira vez, existem documentos que verificam a existência. Segundo a mesma publicação britânica, o carro está a ser construído em Silicon Valey, na Califórnia.

Antes de anunciar a ideia revolucionária, a Apple tem de testá-la. E para verificar se um carro funciona e se é seguro é preciso um local. Mas não pode ser qualquer um. Em maio deste ano, a empresa do IPhone contactou a GoMentum para saber qual a disponibilidade para utilizar aquele espaço.

Um estação de simulacro bem próxima da realidade

A GoMentum é nada mais do que uma antiga base de armamento naval, em São Francisco, que foi desativada após a II Guerra Mundial. Tem cerca de 32 quilómetros de estrada pavimentada, cenários urbanos, viadutos, passagens de nível e até cercados de gado. Está fechada ao público e é patrulhada por militares.

É considerada como a “mais segura instalação para testes de automóveis em todo o mundo”.

“Gostaríamos de compreender qual a disponibilidade e os horários em que o espaço está disponível, e como poderíamos coordenar a utilização com as outras empresas que também estão utilizar o espaço. Queríamos também ver uma apresentação sobre a disposição do local, algumas fotos e a descrição dos vários cenários que poderíamos utilizar”, escreveu nos e-mails iniciais Frank Fearon, um dos engenheiros de Projetos Especiais da Apple, citado pelo “The Guardian”.

Do lado da GoMentum, confirmam a troca de contactos, mas a Apple, quando confrontada com a história, recusou comentar.

O futuro aqui bem perto

O Projeto Titan, como é conhecido este carro autónomo, é um veículo elétrico que se conduz sozinho. Em maio deste ano, o vice-presidente da Apple, Jeff Williams, assumiu que este seria o “derradeiro dispositivo móvel”, admitindo que a empresa “estava a explorar muitos mercado diferentes... em quais acreditamos conseguir fazer uma grande diferença”.

Tim Cook, CEO da Apple, tem-se reunido nos últimos meses com alguns dos maiores nomes do mercado automóvel, tal como a Mercedes-Benz, a Fiat e a BMW.

Ficheiros Secretos

O Titan está envolto numa aura de secretismo e mistério. Nada se sabe sobre o carro. E a Apple quer garantir que o projeto se mantém assim.

“Tivemos de assinar um acordo de não divulgação com a Apple. Não podemos contar nada além de que realmente entraram em contacto connosco e que estão interessados”, explica Randy Iwasaki, CEO da Contra Costa Transportation Authority, que gere a GoMentum.

A equipa que está a desenvolver o carro que se conduz sozinho não trabalha no Campus da Apple, em Cupertino. Muito pelo contrário. Deixaram de parte os edifícios tecnológicos e foram colocados numas instalações 'low-profile' , a vários quilómetros do Campus.

Até mesmo nos próprios e-mails, os engenheiros não assinam com o nome da empresa. Segundo o “The Guardian”, Frank Fearon terminava as mensagens com uma marca de um ponto de interrogação encriptada. De todas as conversas ente a GoMentum e a equipa de Projetos Especiais, apenas um dos engenheiros admitiu pertencer à empresa fundada por Steve Jobs.

O secretismo talvez se justifique com os concorrentes que têm à perna. São várias as empresas tecnológicas a tentar entrar no mercado dos automóveis robóticos. A Google, a Uber e Honda são algumas das marcas que também estão a tentar avançar com projetos semelhantes.

[artigo atualizado às 12h33 de 16-08-2015]