Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Bombeiro chinês resgatado após 32 horas encurralado pelas explosões em Tianjin

  • 333

Consequências das explosões são bem visíveis pelo cenário de caos provocado

WU HONG/EPA

Outros bombeiros continuam desaparecidos e 17 morreram, após as explosões desta quarta-feira. Trabalhos de rescaldo prosseguem com cautela, dada a existência de químicos perigosos na zona

Na China, as equipas de socorro libertaram esta sexta-feira um bombeiro de 19 anos que ficou encurralado durante 32 horas, depois de ter acorrido ao porto de City, após as explosões em Tianjin. Pelo menos 50 pessoas morreram na sequência destas explosões, entre as quais 17 bombeiros, continuando outros desaparecidos - o número exato não foi revelado.

O bombeiro foi resgatado durante a madrugada e transportado para um hospital, por apresentar lesões no rosto, peito e nos pés, segundo a emissora estatal CCTV.

As autoridades continuam agora a procurar os restantes profissionais desaparecidos, afirmou o chefe do departamento dos bombeiros, ao mesmo tempo que prosseguem os trabalhos de rescaldo, com cautela, dada a quantidade de produtos químicos potencialmente perigosos existente no local.

As duas explosões ocorridas na tarde desta quarta-feira causaram ainda mais de 700 feridos, balanço que só não foi pior dado a zona atingida ser ocupada, sobretudo, por armazéns. Com origem num local que continha variados tipos de químicos, as autoridades têm assegurado que não houve contaminação do ar, mas os moradores nas zonas mais próximas estão preocupados, relata a Asssociated Press. Muitos começaram a usar máscaras.

Quanto à causa das explosões, não está esclarecida. Mas um relatório publicado na imprensa chinesa sugere que a água utilizada inicialmente pelos bombeiros para combater as chamas pode ter provocado novas explosões, ao entrar em contato com determinados produtos químicos.