Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Varoufakis teme figuras de estilo dos credores: “Acordo é um campo minado de eufemismos”

  • 333

ORESTIS PANAGIOTOU / EPA

Antigo ministro das Finanças grego demonstrou no Parlamento a sua insatisfação com os termos do acordo entre os credores e a Grécia. E diz que era boa ideia criar “um dicionário com a linguagem da troika”

Para Varoufakis, o acordo entre Grécia e Bruxelas “não é viável” e não passa de um “campo minado de eufemismos”. Durante a sessão plenária do parlamento grego, esta quinta-feira, em Atenas, o antigo ministro das Finanças mostrou-se (mais uma vez) descontente com as condições e o espírito do memorando.

Durante a sua intervenção, Varoufakis criticou o facto de no documento não estar previsto o alívio da dívida grega. Embora desagradado e desapontado, defendeu o trabalho de Euclid Tsakalotos, atual ministro das Finanças, e de Giorgos Stathakis, ministro da Economia, durante as negociações com troika, uma vez que estavam limitados por um “acordo humilhante”. Ainda assim, sugeriu a criação de “um dicionário com a linguagem da troika”.

Esta quinta-feira, o parlamento grego interrompeu as férias para debater o acordo. Ainda esta quinta-feira à noite, ou mais tardar esta sexta-feira de manhã, os deputados votam se querem ou não avançar com o acordo para desbloquear o terceiro resgate financeiro à Grécia.

Com este acordo, os gregos recebem 85 mil milhões de euros, sendo que 10 mil milhões de euros serão desbloqueados imediatamente para que Atenas consiga pagar ao Banco Central Europeu (BCE) - a Grécia tem amortizar 3,2 mil milhões de euros até 20 de agosto.

  • Dívida grega vai subir para 201% do PIB com o resgate

    Com o terceiro resgate, o rácio da dívida grega vai subir em 2016 quase 25 pontos percentuais em relação ao atual nível, segundo a análise de sustentabilidade de dívida realizada pelos credores oficiais. Em 2022, o rácio ainda estará em 160%, 50 pontos percentuais acima da anterior meta colocada pelo FMI

  • Finlândia aprova terceiro resgate à Grécia

    Alexander Stubb, ministro das Finanças finlandês, diz que o país apoia o envolvimento do FMI no terceiro resgate à Grécia, pois contribuiria com “15 mil a 20 mil milhões de euros, mas sobretudo daria credibilidade a todo o programa”

  • Os documentos para um empréstimo transitório à Grécia estão preparados, para o caso de isso ser pedido pelos ministros das Finanças da zona euro. No entanto, a comissão mantém a esperança de que o acordo seja aprovado rapidamente