Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Afeganistão. Ataque suicida dos talibãs numa esquadra mata civis e polícias

  • 333

A região de Logar tem sido palco de vários ataques e atentandos ao longo dos últimos anos

AHMADULLAH AHMADI

Ataque dos terroristas foi feito na cidade de Pul-i-Alam, na região turbulenta de Logar, recorrendo a um autocarro armadilhado com bombas

Poucos dias depois da morte do líder talibã Mullah Omar, o grupo regressou ao ativo no Afeganistão, desta vez na conturbada região de Logar. O ataque suicida foi executado contra uma esquadra da polícia na cidade de Pul-i-Alam, com recurso a um autocarro armadilhado com bombas que resultou em pelo menos seis mortos.

Citado pelo jornal “The Guardian”, o chefe da polícia local Mohammad Qari Wara confirma o número de vítimas: “Um transportador de água cheio de explosivos foi detonado quando se aproximava do portão de uma instalação policial, onde iria ser inspecionado. A explosão matou três civis e três membros da força policial”.

O ataque veio a desestabilizar ainda mais a frágil região a sul de Cabul - capital do Afeganistão - conhecida pela atividade de militantes extremistas. Além dos seis mortos, o atentado desta manhã provocou vários feridos civis e paramilitares.

A crise nos talibãs

Para surpresa de muitos, os talibãs, que habitualmente recusam assumir ataques que causem mortes civis, reivindicaram o atentado em Pul-i-Alam, sinal da mudança de liderança e de hábitos no grupo terrorista.

Depois da morte de Mullah Omar, o grupo tem passado por uma transição complicada na chefia. Mullah Akhtar Mansour foi anunciando como o novo líder, mas tem sido altamente contestado pelos seus pares, o que revela uma crise interna que poderá levar a uma fragmentação do grupo terrorista.

  • Vídeo tenta afirmar novo líder dos talibãs afegãos

    Uma multidão jura obediência a Mullah Mansour num filme divulgado na Internet, mas a sua escolha como novo líder dos talibãs afegãos está muito longe de ser consensual e os serviços secretos dos EUA temem que grupos ainda mais extremistas, como o autodenominado Estado Islâmico (Daesh), aproveitem para recrutar novos membros

  • Morreu Mullah Omar. Mais uma vez

    Nos últimos anos, a morte do líder dos talibãs afegãos foi noticiada em várias ocasiões. Desta vez é um ex-ministro afegão que garante: “Mullah Omar morreu de tuberculose há dois anos e quatro meses”