Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Vídeo tenta afirmar novo líder dos talibãs afegãos

  • 333

Militantes talibãs afegãos/EPA

Uma multidão jura obediência a Mullah Mansour num filme divulgado na Internet, mas a sua escolha como novo líder dos talibãs afegãos está muito longe de ser consensual e os serviços secretos dos EUA temem que grupos ainda mais extremistas, como o autodenominado Estado Islâmico (Daesh), aproveitem para recrutar novos membros

Membros dos talibãs afegãos divulgaram na Internet um vídeo que mostra uma multidão a jurar obediência ao mullah Akhtar Mansour, numa tentativa de afirmar o apoio àquele que foi nomeado como novo líder na quinta-feira passada, em sequência do anúncio da morte do mullah Mohammad Omar. A decisão está, contudo, a ser alvo de grande contestação.

O vídeo divulgado na segunda-feira no site dos talibãs mostra imagens do funeral de um erudito islâmico. No palco, um líder talibã apela aos presentes para que levantem as mãos e jurem obediância ao mullah Mansour, indicação que é seguida pela multidão.

A família do anterior líder indicou que não expressou o seu apoio a Mansour. No sábado um porta-voz dos talibãs e irmão do falecido Omar indicou à BBC que nem todos os membros do Conselho Supremo dos Talibãs Afegãos foram consultados sobre a sua nomeação e que o novo líder só será eleito numa reunião que vão realizar nos próximos dias.

O anúncio da morte do mullah Omar criou uma situação de crise de liderança e de potencial desagregação dos talibãs afegãos, situação que está a ser observada atentamente pelos serviços secretos dos Estados Unidos. Estes temem que a sucessão permita que grupos ainda mais extremistas, nomeadamente o autodenominado Estado Islâmico (Daesh), aproveitem para recrutar entre eles novos membros.

“A maioria dos talibãs comuns sente que foi enganada”

Omar terá morrido de doença em abril de 2013, mas a sua morte só foi anunciada na semana passada, primeiro pelo Governo afegão e um dia depois pelos talibãs. O grupo continuará, contudo, a emitir ordens e declarações em seu nome.

“A maioria dos talibãs comuns sente-se enganada pelos seus líderes”, disse um comandante talibã da província de Khost, no leste do Afeganistão, citado por “The Wall Street Journal”. “Nós fomos mantidos no escuro, e agora não não sabemos o que se irá seguir“, afirmou, declarando que os “desentendimentos entre líderes seniores estão a a desencorajar os combatentes”.

O mullah Mansour divulgou no sábado uma declaração apelando à unidade e negando que seja a favor de tréguas com o regime afegão. “Devemos manter a nossa unidade, devemos estar unidos, o nosso inimigo ficará feliz com a nossa separação (…) É uma grande responsabilidade para nós. Isto não é uma tarefa para uma, duas ou três pessoas. É a responsabilidade de todos prosseguir com a jihad até que tenhamos estabelecido um Estado Islâmico”.

Alguns destacados membros dos talibãs afegãos dizem que Mansour está a ser imposto como novo líder pelos círculos pró-Paquistão. A BBC refere que pelo menos um fação do grupo prefere que um filho de Omar seja eleito como novo líder.