Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Pela primeira vez depois do Holocausto, Berlim recebe Jogos Macabeus

  • 333

Adolf Hitler, durante a abertura dos Jogos Olímpicos de 1936, em Berlim

FOTOGRAMA YOUTUBE

Há 79 anos, Adolf Hitler proibiu todos os atletas de origem judia de participar nos primeiros Jogos Olímpicos transmitidos pela televisão. Esta terça-feira, numa ironia histórica, serão exclusivamente os atletas de origem judia a competir no glorioso Estádio Olímpico de Berlim

A história consegue, por vezes, ser irónica, e esta história é um perfeito exemplo disso. Há 79 anos, a 1 de agosto de 1936, Adolf Hitler inaugurava os Jogos Olímpicos de Berlim, onde era estritamente proibida a participação de quaisquer atletas de origem judia. Esta terça-feira, o mesmo espaço servirá de palco para os Jogos Macabeus, com a participação de mais de dois mil de atletas de origem judia, provenientes de toda a Europa. O acontecimento dá-se 70 anos depois do fim da Segunda Guerra Mundial e 50 anos depois do restabelecimento de relações diplomáticas entre Alemanha e Israel.

O estádio olímpico, magnífica obra do arquiteto alemão Werner March, construído para demonstrar ao mundo a superioridade da raça ariana, receberá aquilo que os organizadores da iniciativa desportiva apelidam de “jogos de reconciliação”. “Muitas pessoas disseram que nunca mais na sua vida pisariam solo alemão”, dizia Alon Meyer, presidente dos Jogos Macabeus da Alemanha, acrescentando que agora “há uma nova geração e a responsabilidade resolveu-se há muito tempo”.

Berlim, no centro da Europa continua a lutar contra a intolerância, a xenofobia e o antissemitismo, sendo que “o evento tem forte significado histórico e político”, defendeu a chanceler Angela Merkel quando recebeu os organizadores do evento, que lhe comunicaram a escolha da capital alemã para hospedar os Jogos Macabeus. “O estádio é o lugar onde os Jogos Olímpicos foram explorados por Hitler. Agora teremos no mesmo lugar um evento desportivo judio, os Jogos Macabeus, que representam uma fantástica mensagem de tolerância”, disse o ministro do Interior, Thomas de Maizière.

O diário espanhol “El Pais” escreve que os atletas judeus se alojaram todos no hotel Estrel, edifício situado entre o bairro Neukölln e a mesquita Al Nur, um centro conhecido pela sua falta de tolerância para com judeus, devido à maioria muçulmana que lá habita. Para evitar incidentes, os atletas foram aconselhados a não passear pela zona e a não se vangloriarem das suas origens judias. A cerimónia de abertura terá lugar já esta terça-feira no Waldbühne, um centro cultural ao ar livre pertencente ao complexo olímpico, e contará com a presença do Presidente alemão, Joachim Gauck.