Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Latinos prostestam contra Trump (“o cabelo dele é ilegal”), Trump responde assim: “Toda a gente me quer”

  • 333

RICK WILKING / Reuters

Apesar de o convite ter sido retirado, o candidato presidencial republicano foi mesmo a Laredo, cidade próxima da fronteira com o México, onde defendeu a construção de um muro. É mais um delirante episódio da campanha do multimilionário para as primárias no Partido Republicano

Donald Trump chegou esta quinta-feira, no seu jato privado, ao aeroporto internacional de Laredo, cidade dos Estados Unidos muito próxima da fronteira com o México. À sua espera tinha inúmeros manifestantes latinos que expressavam a sua ira e exibiam cartazes com inscrições como “O cabelo de Trump é ilegal” e “John McCain é um herói, Trump é um idiota”.

Apesar disso, o multimilionário candidato às primárias para as presidenciais no Partido Republicano não perdeu a compostura, afirmando: “Vocês olham para a multidão lá fora, as multidões estão todas a gritar em apoio de Trump. Toda a gente me quer”.

O convite para a visita à cidade texana e vizinha do México, havia partido de um sindicato da polícia de controlo da fronteira, mas esse grupo acabou por recuar, indicando já não estar disponível para receber o empresário após terem surgido indicações de que a presença deste originaria diversos protestos.

Apesar disso, Trump decidiu manter io programa agendado, confiante de que a viagem a uma região com 95,6% de população hispânica lhe granjearia apoios.

RICK WILKING/REUTERS

“Criminosos”, “violadores” e “narcotraficantes”

Donald Trump, que recentemente causara grande indignação dentro do seu partido ao afirmar não reconhecer heroísmo ao senador John McCain e que este apenas era considerado herói de guerra por ter sido capturado no Vietname, destaca-se, mesmo entre os conservadores, pela defesa de fortes medidas contra a imigração.

Entre as suas inúmeras polémicas afirmações, já dissera que o México tem enviado “criminosos”, “violadores” e “narcotraficantes” para os Estados Unidos e defendera a construção de um muro na fronteira, que teria de ser pago pelo México.

A conferência de imprensa em Laredo, quase inteiramente dedicada ao tema da imigração, contou com a participação do autarca Jesus Olivares, que causou algum espanto por declarar, ao lado de Trump, ser contra a constyrução desse hipotético muro. “Eu penso que há outras formas de trabalharmos juntos com o Governo federal”, afirmou.

Mesmo assim, Trump não desistiu de defender a construção desse obstáculo, pelo menos em “algumas partes” da fronteira com o México: “Um muro na fronteira poupar-nos-ia imenso dinheiro. Temos de erguê-lo”.

“Eu emprego milhares e milhares de hispânicos. Amo o povo, são grandes trabalhadores, são gente fantástica e eles querem imigração legal”, acrescentou.

Este é mais um delirante episódio da campanha idealizada por Trump, que está a causar enorme sobressalto dentro do Partido Republicano, onde o multimilionário continua a surgir como o mais forte dos vários candidatos já anunciados, com 24% de apoio nas sondagens.

RICK WILKING / Reuters