Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Novos ministros do governo de Tsipras tomam posse

  • 333

ANGELOS TZORTZINIS / AFP / Getty Images

Após a remodelação do Governo grego na sexta-feira à noite, os novos ministros, vice-ministros e ministros-adjuntos tomaram posse este sábado, no palácio presidencial

A manhã de sábado foi de mudanças no palácio presidencial em Atenas. Depois de na sexta-feira Tsipras ter anunciado várias remodelações no governo grego, os novos ministros, vice-ministros e ministros-adjuntos do governo da Grécia prestaram hoje juramento, numa cerimónia na presença do Presidente da República, Prokopis Pavlópulos, e do primeiro-ministro, Alexis Tsipras.

A grande mudança da noite de sexta-feira foi a saída do ministro da Reconstrução Produtiva, Energia e Meio Ambiente, Panagiotis Lafazanis, que era um dos 32 deputados do Syriza que votaram contra as reformas aprovadas esta semana no parlamento. Em sua substituição, entrou Panos Skourletis, até agora ministro do Trabalho, pasta para a qual foi nomeado George Katrougalos (até então ministro-adjunto da Reforma Administrativa).

Foram várias as trocas e ajustas que Tsipras optou por fazer, excluindo aqueles que se posicionaram contra o acordo aprovado quarta-feira no parlamento e nomeando para os cargos pessoas da sua confiança (ou aliados do parceiro de coligação do Syriza, Gregos Independentes), como destaca a edição inglesa do jornal "Ekathimerini". No total, o primeiro-ministro grego mexeu em duas posições ministeriais e sete lugares de adjuntos (como pode ver aqui).

"A remodelação adapta-se à nova realidade", afirmou Skourletis, à chegada ao palácio presidencial. Já o novo vice-ministro da Defesa, Dimitris Vitsas, recordou que este "é um período difícil" , que só pode ser ultrapassado com "trabalho, trabalho e trabalho".

"O nosso objetivo é negociar os termos do acordo, não apenas selá-lo, mas determinar a forma como este vai ser implementado", afirmou este sábado o recém-nomeado ministro do Trabalho, George Katrougalos. "Existem ainda muitos aspetos vagos no acordo".