Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Aprovado por maioria, mas com problemas no partido de Merkel: alemães dizem “sim” à Grécia

  • 333

AXEL SCHMIDT / Reuters

Parlamento alemão aprova acordo com Atenas, mas metade dos votos contra veio do partido de Angela Merkel

O parlamento alemão aprovou esta sexta-feira o início das negociações para o terceiro resgate da Grécia. Foi uma vitória por larga maioria, com 439 votos a favor, 119 contra e 40 abstenções.

Cinco dezenas de deputados da União Democrata Cristã (CDU) - o partido de Angela Merkel - e 63 do partido de esquerda Linke votaram contra o início das discussões com Atenas com vista a um programa de ajuda externa, ignorando os apelos da chanceler e do ministro das Finanças alemão. Os restantes seis votos desfavoráveis foram de deputados de outros partidos.

Durante a discussão parlamentar, Angela Merkel defendera que a solução encontrada para a Grécia não visa apenas o país, mas a criação de uma "Europa e uma zona euro mais forte". "A alternativa a este acordo não seria um Grexit temporário, mas previsivelmente o caos", disse a chanceler. Se isso sucedesse, defendeu Merkel, "estaríamos a ser grosseiramente negligentes e a agir irresponsavelmente".

Wolfang Schäuble reconheceu por sua vez - num discurso inflamado - que a decisão de aprovar o acordo seria uma "tarefa difícil", mas que era unânime a necessidade de ajudar Atenas. "Esta é a última tentativa para ajudar a Grécia. (...) Temos que tentar que este novo pacote de ajuda resulte", afirmou o governante germânico.

Entretanto, os parlamentos da Áustria e da Letónia também deram esta sexta-feira luz verde ao início das conversações com vista ao terceiro resgate da Grécia, que pode ascender aos 86 mil milhões de euros.