Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Caso sério no Brasil: Procuradoria da República abre investigação a Lula

  • 333

PAULO WHITAKER / Reuters

Ex-presidente brasileiro é suspeito de ter favorecido a construtora Odebrecht nos contactos com outros países. A empresa já estava a ser investigada em outros casos

Lula da Silva está a ser investigado por tráfico de influências. O antigo presidente do Brasil terá favorecido a construtora Odebrech em negócios com outros países. Esta quinta-feira, a Procuradoria da República no Distrito Federal decidiu abrir um inquérito, após uma investigação preliminar ter identificado indícios suficientes para avançar com o caso.

A construtora pagou alegadamente várias viagens ao ex-chefe de Estado brasileiro, enquanto este usava a sua influência para ajudar a empresa nos mercados internacionais, avança o jornal "Estadão". Agora, a Procuradoria quer saber o que Lula fez durante essas visitas ao estrangeiro.

Num dos casos referidos, Lula da Silva terá ajudado a construtora a conseguir contratos em África e na América Latina. As suspeitas remontam ao período entre 2011 e 2014, altura em que já não era chefe de Estado.

Citado pelo jornal "Estadão", o Instituto Lula - presidido por Lula da Silva - diz que está surpreendido com a abertura do inquérito, uma vez que na última semana cooperaram com a Procuradoria e entregaram uma série de informações que tinham sido solicitadas. Para o Instituto, houve pouco tempo para analisar e chegar a alguma conclusão.

"Entendemos que faz parte das atribuições do Ministério Público investigar denúncias e vemos isso como uma oportunidade de comprovar as legalidades e lisuras das atividades do Instituto Lula", fez saber o gabinete de comunicação.

Já no mês de abril, a revista "Época" escrevia que Lula da Silva estava a ser investigado por ter obtido "vantagens económicas", levantando os primeiros sinais de fumo do que estaria para vir.

A construtora Odebrech já estava a ser investigada no âmbito da operação Lava Jato, que apura crimes de corrupção cometidos na petrolífera Petrobras.

  • O encontro secreto no Porto que está a tramar Dilma

    Uma reunião secreta durante uma pausa técnica, no Aeroporto Sá Carneiro, do avião de Dilma Roussef entre a presidente do Brasil, o seu ministro da Justiça e o presidente do Supremo, que estavam em Coimbra, provocou indignação no Brasil em plena crise do escândalo Lava Jato