Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

O encontro secreto no Porto que está a tramar Dilma

  • 333

STEPHEN LAM / Reuters

Uma reunião secreta durante uma pausa técnica, no Aeroporto Sá Carneiro, do avião de Dilma Roussef entre a presidente do Brasil, o seu ministro da Justiça e o presidente do Supremo, que estavam em Coimbra, provocou indignação no Brasil em plena crise do escândalo Lava Jato

Ricardo Costa

Ricardo Costa

Diretor de Informação da SIC

O encontro devia ter sido secreto, mas acabou por ser noticiado por um blogue brasileiro, provocando uma onda de indignação e de explicações, que vão do golpe inaceitável a apenas uma ideia infeliz. Enquanto as justificações se sucedem, é já absolutamente certo que, enquanto o Brasil atravessa a maior crise judicial da sua história - num escândalo que envolve a estatal Petrobras e as maiores construtoras do país -, a presidente Dilma Roussef aproveitou uma escala técnica enquanto viajava para a Rússia para ter uma reunião que seria inaceitável em Brasília.

Foi no dia 7 de julho que o avião presidencial fez escala no Porto, a meio de uma longa viagem para a Rússia. Ninguém na comitiva foi avisado de que a presidente tinha agenda nesse período. Mas tinha e era explosiva. Por uma estranha coincidência, quer o ministro da Justiça quer o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) estavam em Coimbra, numa conferência jurídica, e foram encontrar-se com Dilma ao Porto.

Num momento em que a relação entre os poderes políticos e judicial é questionada - e o presidente do STF é muito próximo de Lula da SiIva -, esse encontro seria sempre considerado um “golpe”. Foi por isso que a sua descoberta, ainda por mais sem constar da agenda e em território estrangeiro, provocou mais indignação junto da oposição e de comentadores políticos. O vídeo entre os conhecidos comentadores Diogo Mainardi e Mário Sabino é um dos mais populares.

Quando o ministro da Justiça foi confrontado com a notícia, disse que foi um encontro casual. Contou que estava a participar com Ricardo Lewandowski numa cimeira em Coimbra e que, ao ser informado da escala de Dilma, foi com o presidente do STF até ao Porto. Segundo o ministro, o assunto do encontro foi o aumento salarial de todo o setor judicial. “Estávamos em Coimbra e, como iriámos para um almoço no Porto, marquei essa conversa”, disse José Luis Cardozo. “O assunto do encontro foi o reajuste do Judiciário. Ele levou números para a presidente Dilma.”

Mas a oposição questionou o facto de Dilma ter discutido fora do Brasil temas mais sigilosos com o presidente do STF, como o ambiente político e as consequências da operação Lava Jato, que pode chegar ao ex-presidente Lula. Só neste sábado (dia 11) é que a presidente Dilma Rousseff falou em Milão, em Itália, sobre o encontro no Porto, que garantiu ter sido apenas para discutir o projeto que reajusta os salários do setor judicial.

No Palácio do Planalto, a ordem é minimizar o episódio. Mas interlocutores da presidente Dilma, citados pela imprensa brasileira, reconhecem de forma reservada que foi um erro omitir uma agenda tão importa. E que, para evitar especulações, o mais correto teria sido fazer o encontro com o presidente do STF, no Brasil, dentro do Palácio da Alvorada.