Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Comissário europeu: a Grécia paga “juros míseros”

  • 333

JULIEN WARNAND / EPA

Declarações surgem um dia depois de ter sido conhecido um relatório do FMI que considera “insustentável” a dívida grega, sugerindo um período de carência de de 30 anos ou o corte direto da dívida

O comissário europeu para o Euro, Valdis Dombrovskis, disse esta quarta-feira que os encargos com a dívida grega estão abaixo dos de Portugal, em termos de percentagem do PIB, considerando que Atenas paga "juros míseros".

O comissário, que falava em conferência de imprensa em Bruxelas, salientou a necessidade de se olhar também "para a condicionalidade da dívida e não apenas para o rácio da dívida para compreender o custo real do serviço da dívida".

Apesar de a dívida pública da Grécia ser a mais elevada face ao PIB entre os Estados-membros da União Europeia, representando cerca de 180% da riqueza produzida, o comissário letão considerou que é também importante ter em conta os encargos com o serviço da dívida.

Em relação às preocupações manifestadas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) num relatório sobre a sustentabilidade da dívida pública grega, o comissário respondeu que "os empréstimos da zona euro não são um problema imediato", uma vez que têm "longos períodos de carência - nos juros até 2020 e no capital até 2023, o que significa que a Grécia está a pagar juros míseros".

Num relatório divulgado na terça-feira, o FMI defendeu que a zona euro deve ir "muito mais longe" do que o previsto para aliviar a dívida grega, podendo mesmo ter de perdoar uma parte. O relatório do FMI considera que a dívida grega é "totalmente insustentável" e prevê que se vai aproximar dos 200% do PIB nos "dois próximos anos".

A Comissão Europeia propôs esta quarta-feira que a ajuda de emergência à Grécia, o chamado 'financiamento-ponte', seja feita através do fundo no qual participam todos os 28 Estados-membros da União Europeia, o Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (EFSM).